Cóleus ou coração-magoado: como reproduzir

Cóleus, coléus, côleus, coleus, ou coração-magoado. Os nomes são muitos, mas o cóleus é uma planta de personalidade, com uma imensa variedade de formas de folhas e cores e que deixa qualquer jardim muito mais feliz e colorido. Nossa jardineira Carol Costa esteve no Espaço Botânico, o maior garden center de Uberlândia (MG), que além de comercializar, também produzem muitas variedades de cóleus

Cóleus tem muitas variedades


Típica planta vintage, daquelas que nossos avós tinham no jardim de suas casas, o cóleus ou coração-magoado (Solenostemon scutellarioides) tem tanta variedade que fica difícil escolher um só. Para ter uma ideia, o Espaço Botânico produz 20 variedade dessa planta. Desde a "versão clássica", que dá o nome de "coração magoado" pelas manchas avermelhadas, as opções de cores e formas das folhas dessa querida planta são tantas que dá trabalho até para colecionadores. Com folhagens de vários tamanhos, as bordas das folhas podem ser bem marcadas ou com contornos mais suaves, mas sempre com seus recortes característicos. Quando o assunto são cores, você encontra folhas de cóleus com manchas totalmente roxas, vermelhas, lilases, amarelas, tons de verde e até mesmo uma de uma cor tão profunda, que é quase negra, a "Dark Chocolate". Existem mais de de 300 variedades e cultivares de cóleus.

Cultive a planta no sol ou meia sombra


De origem asiática, o cóleus gosta de clima úmido e bastante sol. Se você vai cultivar numa região brasileira onde o sol é bem intenso, plante o cóleus em meia sombra (4 horas de luz solar). Agora, se os raios solares não são tão forte durante o ano, pode colocar a planta em sol pleno (8 horas) que ela agradece.

Como reproduzir o cóleus


Reproduzir o cóleus é bem fácil. Basta cortar algumas ponteiras da planta, escolhendo sempre as de folhas mais bem formadas e sem manchas ou sinais de pragas e doenças. Como as plantas matrizes estavam no sol, é preciso "refrescar" as ponteiras cortadas. Carol aprendeu uma nova expressão com a Letícia, responsável pela reprodução dos cóleus no Espaço Botânico: "tirar o calor do campo". Basta mergulhar as ponteiras em um balde com água. Depois de resfriadas, as folhas são cortadas pela metade, descartando as pontas. Com menos superfície de folha, a planta não desidrata. A parte final é passar enraizador no caule e colocar as ponteiras no substrato. Em cerca de 2 ou 3 meses, as plantas estão com o tamanho ideal para serem transplantadas para vasos maiores ou seu jardim.

Enraizador em pó ou líquido?


Tanto faz, vai depender de quem usa. Normalmente, por causa do grande volume, produtores usam a versão em pó, comercializada em sacos. Já quem vai fazer suas mudinhas em casa, a versão do enraizador líquido é mais fácil de encontrar e vem na quantidade certa. Dilua uma tampinha do enraizador em meio copo de água (cerca de 150ml). Em 10 dias, as ponteiras já começam a enraizar. Aqui embaixo, você encontra um link para adquirir o enraizador líquido, marca Forth.

Espécies mostradas no vídeo (todas Solenostemon scutellarioides):
"Rose to Lime Magic"
"Wizard Mixture"
"Wizard Golden"
"Chocolate Mint"
"Watermelon"
"Chocolate Covered Cherry"
"Black Dragon"
"Dark Chocolate"
"Wizard Mosaic"

Agradecimentos:
Espaço Botânico
Ball Seeds (produtor de sementes)
Vasart Vasos

Minhas Plantas recomenda