Saiba se sua planta está morrendo

Inscreva-se no Rebrota – curso intensivo gratuito de jardinagem com Carol Costa (de 27 de julho a 1º de agosto) - clique aqui.

Folhas amarelas e caindo, galhos pelados, hastes murchas... é tanta tragédia que o diagnóstico da paciente parece ser um só: a verdinha vai falecer. Antes de decretar a morte da vítima que tá dando pinta de quem vai bater as botas, assista este vídeo da nossa jardineira Carol Costa. Você aprenderá a usar o plantês pra entender os sinais e usar as cinco dicas pra salvar sua planta.

O problema é geral ou localizado?


Antes de pensar que sua plantinha está partindo dessa pra melhor, observe se o dano é em uma única parte. No vídeo, Carol mostra um arranjo onde um antúrio "Livium" (Anthurium andreanum "Livium") tem algumas folhas com pontas queimadas. Isso pode ser uma indicação de que o vaso está num local muito seco ou precisa de regas mais frequentes.

O dano aparece nas folhas velhas ou novas?


Quando a planta já é adulta, é normal que a folhagem mais antiga se torne amarelada, seque e caia. Ainda assim, observe se essa queda não indica um problema maior. Carol mostra um cróton "Eleanor" (Codiaeum variegatum "Eleanor Roosevelt") que ficou por um bom tempo longe do sol. As folhas da parte de baixo acabaram caindo e isso foi o bastante pra nossa louca das plantas levar o vaso aos poucos pra uma área que recebia mais luz solar. Em pouco tempo, a planta reagiu e novos brotos apareceram.

Se o problema surgir nas folhas novas, isso indica praga ou falta de adubo. No vídeo, um Ficus altissima com as folhinhas novas enrugadas mostra que algo errado acontece. Ácaros e moscas-brancas surgem em plantas com deficiência de macro e micronutrientes. Outro problema comum, é o apodrecimento do caule e as folhas acabam caindo, algo que acontece com espécies de ambientes úmidos e de estruturas carnosas. Suspenda as regas por um tempo.

Há quanto tempo está em casa?


É mais fácil notar mudanças em plantas que estão na sua casa há mais tempo. No vídeo, Carol mostra uma comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia amoena "Mariana") que, mesmo exuberante, começa a mostrar sinais sutis de falta de nutrientes. Se o problema for com uma planta que acabou de vir do garden center, respira e mantenha a calma. Lembre-se de que esse vaso passou por uma baita jornada, do produtor até sua casa e, essa maratona exigiu bastante da planta. É só dar um tempo e uma paparicada na verdinha que, em alguns dias, ela irá sentir-se em casa.

Há quanto tempo está no mesmo vaso?


Uma planta que está muito tempo no mesmo vaso vai chiar em algum momento, mesmo as espécies mais resistentes. Pode ser falta de adubo ou ainda, de espaço. Vasos pequenos podem ser um problema, principalmente se você comprou uma planta jovenzinha e ela continuou no mesmo pote. Carol mostra um lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisii) que está em um pote tão pequeno, que suas raízes já enovelaram. Aí, a solução é trocar de vaso –
aqui tem um vídeo explicadinho sobre transplantes.

Quando foi adubada?


Adubação é a última dica pra salvar sua planta. Talvez você nem lembre da última vez que adubou o pobre serzinho clorofilado. Agora, se a adubação foi super recente e você notou amarelamento nas folhas, aí complicou... excesso de adubo é quase um envenenamento pra planta e, não há muito o que se fazer.

Tente uma coisa de cada vez


A dica bônus pra esse vídeo é: não use todos os truques apresentados aqui de uma vez. Tente o que se encaixa melhor pro seu caso e, observe a planta por algumas semanas. Uma overdose de cuidados e mudanças pode ser tão prejudicial quanto não fazer nada. Entender os sinais e também o tempo que a planta leva pra reagir faz parte do aprendizado de todo jardineiro. Aproveita que você chegou até aqui e, faça sua inscrição pro Rebrota – curso intensivo gratuito de jardinagem com Carol Costa (de 27 de julho a 1º de agosto) - clique aqui.

Materiais e plantas mostrados no vídeo:
antúrio "Livium" (Anthurium andreanum "Livium"), da Van Vliet
cróton "Eleanor" (Codiaeum variegatum "Eleanor Roosevelt") e Ficus altissima, da Magna Flora
comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia amoena "Mariana"), do Sítio São Jorge NSA
petúnia "Night Sky" (Petunia hybrid "Night Sky"), da Bio Plugs
lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisii)

Figurino:
Carol usa colar Studio Drê Magalhães
Blusa e calça do acervo pessoal

Inscreva-se no Rebrota – curso intensivo gratuito de jardinagem com Carol Costa (de 27 de julho a 1º de agosto) - clique aqui.

Minhas Plantas recomenda