Três plantas proibidas pra sala

Dá pra ter muitas plantas dentro de casa mas, se você não quer jogar dinheiro fora nem ficar triste, preste atenção nas espécies que NUNCA deveriam estar em uma sala. Essas plantas já apareceram em muitas fotos e vídeos por aí e em capas de revistas mas, ouça o que nossa jardineira Carol Costa conta aqui neste

Bambu-mossô


Essa planta já foi a estrela de muito projeto paisagístico de interiores e, o nome já dá uma boa dica sobre a planta. É um "bambu". Essa família de plantas alcança um tamanho considerável, chegando a sete metros de altura. Pra ter um bambu-mossô (Phyllostachys edulis) em vaso é preciso ter espaço, um senhor vaso e, duas coisas que não se encontra dentro de nenhuma casa: Sol e vento. Se você quer ter um bambu-mossô ou outra espécie de bambu na sua casa, escolha um local no seu quintal, que receba luz solar o dia todo – sim, é uma planta de Sol pleno. Outra necessidade da planta é crescer em um local ventilado. Lembre-se também das podas, porque bambu cresce loucamente e pra todos os lados, inclusive, evite escolher locais próximos à muros e encanamentos - suas raízes são bem agressivas e fortes.

Cactos em geral


É quase impossível pensar em cacto e não lembrar de um clima de deserto, com bastante Sol, areia e vento. Essas plantas guerreiras se desenvolvem em locais onde outras verdinhas pediram arrego e, o conforto de uma sala não é exatamente o que um cacto quer. Quase sempre, cactos precisam de Sol por oito horas e se vira muito bem em locais abertos, desde que o substrato seja bem drenado e não acumule água. Se seu cacto tá estiolado (alongado), com uma cor que tá mais pra amarelo do que verde, é um pedido em bom plantês que significa "me leva lá pra fora, por favor...". Vá colocando o cacto aos poucos em áreas mais ensolaradas e, além da sua planta ficar mais bonita, ela também dará... flores! Pois é, se você der Sol e adubo na medida certa, seu cacto vai florir! Lembre-se então de que um bom lugar pro seu cacto é lá fora, ao invés de uma sala ou, pior, de um lavabo ou banheiro, que ainda tem vapor!

Jabuticabeira


A planta que mais remete à memórias afetivas, é sinônimo de quintal e sítio, é uma queridinha que pode brilhar na sua casa, mas nunca dentro da sala. Por mais ampla que seja sua sala ou varanda, por mais claridade que ela receba, lembre-se que existe um teto sobre a árvore. Não tem como uma jabuticabeira (Plinia cauliflora) ser feliz recebendo luz solar só algumas partes do dia. E receber luz quer dizer raios solares nas folhas, não claridade. Não tem mágica que dá certo, nem ficar girando o vaso, que quase sempre é grande e, essa dica serve pra qualquer árvore frutífera. A jabuticabeira perderá folhas e não tem rega e adubação que dê jeito. Se quer cultivar um pé de jabuticaba digno, daquele que você guarda na memória, escolha um local do seu jardim, que receba Sol o dia todo e, que seja protegido do vento – nada de locais altos e com correntes de ar. Vento é um vilão que rouba umidade e, como nossa louca das plantas costuma dizer, jabuticabeira é quase um peixe, precisa de muita água.

Dá pra ter planta dentro de casa, sim, dá uma olhada lá no Site Minhas Plantas que você encontrará listas de espécies que vão bem em locais fechados e de sombra ou meia-sombra. Mas, deixa essas três plantinhas deste vídeo crescerem lá fora? Seu bolso, seu jardim e, principalmente, suas verdinhas vão agradecer!

Materiais e plantas mostrados no vídeo:
bambu-mossô (Phyllostachys edulis)
jabuticabeira (Plinia cauliflora)
pitangueira (Eugenia uniflora)
cacto-mickey-mouse ou orelha-de-coelho (Opuntia microdasys)

ossa jardineira Carol Costa
Carol usa brico Estúdio Ripa
colar Studio Drê Magalhães
blusa Lenny Niemeyer

Links:
Universidade Minhas Plantas
Bokashi: perguntas e respostas

Minhas Plantas recomenda