Tudo sobre regas de plantas

Dedômetro e tudo sobre regas de plantas

Inscreva-se no Rebrota – curso intensivo gratuito de jardinagem com Carol Costa (de 27 de julho a 1º de agosto) - clique aqui.

Pra acabar com todas as dúvidas sobre regas, nossa jardineira Carol Costa ensina todos os macetes pra saber quando molhar suas plantas. Neste vídeo, você aprenderá um pouco do plantês pra entender melhor o que esses serezinhos clorofilados te contam, descobrirá como usar o dedômetro e muitas outras dicas ninja pra manter suas verdinhas hidratadas na medida certa.

A técnica do dedômetro


O dedômetro é a ferramenta mais eficiente do mundo pra saber o momento da rega. O truque é bem simples: com a ponta do indicador, toque o substrato do vaso. Se o dedo sair um pouquinho sujo, quer dizer que ainda existe umidade dentro do recipiente. Se a pontinha do indicador sair limpinha, isso é um sinal de que a terra está seca. Mais fácil, impossível! Crie o hábito de sempre tocar o substrato antes das regas e, em alguns poucos dias, você saberá identificar mais facilmente quando cada uma das suas plantas precisam ou não de água.

Tamanho do vaso interfere


Além de tocar a superfície do substrato, leve em consideração o tamanho do vaso em que está plantada a verdinha. Recipientes mais altos retém mais água no fundo, mesmo quando a superfície parece seca. Se a planta tem raízes profundas e o recipiente que ela está é bem alto, a verdinha tem condições de se manter hidratada por mais tempo.

O que as folhas contam


O tamanho e o tipo das folhas da planta também servem como sinalizador pra suas regas. Espécies de folhas grandes, de espessuras finas e delicadas, como a begônia-cruz-de-ferro (Begonia masoniana), quase sempre precisam de um ambiente mais úmido e isso inclui o substrato. Já aquelas plantas que possuem folhas curtas, duras, pequenas e estreitas, como o alecrim (Salvia rosmarinus), suportam ambientes mais secos e, por esse motivo, precisam de menos água. Se o dedômentro indicar que o substrato está seco, espere mais alguns dias antes de fazer a rega.

Plantas gordinhas armazenam água


O formato da planta, às vezes, é autoexplicativo. Cactos, como o Cereus jamacaru, possuem corpos bem carnudos, perfeitos pra armazenar água em sua estrutura – daí sua capacidade de suportar ambientes áridos e secos. A rosa-do-deserto (Adenium obesum) também dá uma boa dica, com seu caule grosso especializado em guardar uma reserva extra de água pra períodos de longas estiagens. Essas plantas podem passar alguns dias a mais sem água. Dedômetro mostrou que o substrato está seco? Espere mais alguns dias pra regar, as plantinhas valentes deste grupo de caules carnosos aguentam!

Atenção com mudas e brotinhos


Plantas que acabaram de germinar ou mudinhas precisam de uma atenção especial. Como diz nossa louca das plantas, elas são como bebês: não podem passar sede. Suas estruturas frágeis e ainda em formação, junto com raízes pequenas e em desenvolvimento, tornam esta fase da planta mais delicada. Não deixe mudinhas esperar muito tempo entre uma rega e outra. Olho vivo nessas pequenas verdinhas pra garantir umidade na medida certa, todos os dias.

Sol e vento


O local onde o vaso fica também pode ser o responsável pela secagem mais rápida ou por manter a umidade do substrato por mais tempo. Quem já estendeu roupa no varal sabe bem disso: as peças secam bem mais rápido no Sol do que na sombra e, acontece o mesmo com o vaso. Vento também é um ladrão de umidade bem eficiente: plantas expostas à correntes de ar desidratam mais rápido do que aquelas protegidas dentro de casa. Observe bem o ambiente onde sua planta está e terá informações valiosa pra manter as verdinhas com água na medida.

Molhar de manhã é melhor


Prefira regar pela manhã ou no final da tarde, ao invés de horários em que o Sol está bem lá no alto do céu. Com o substrato recebendo todo calor e luz solar do meio do dia, uma boa parte da água que toca a terra acaba evaporando logo de cara.

Pratinhos pra evitar sujeira


Rega não é sinônimo de bagunça mas, às vezes, acidentes acontecem. Pratinhos embaixo dos vasos são a melhor saída, já que regas bem feitas devem ser abundantes. Molhe sem dó, que o pratinho dará conta do excedente e evitará que o assoalho ou piso fique encharcado.

Ufa, quanta informação! Você pode até ter ficado com sede mas, agora é garantido que você conhece bastante sobre regas. Deixa aquelas regrinhas de tantos mililitros de lado: lembre-se que estamos falando de plantas, não tem receita certa. Pra saber ainda mais sobre plantas, não deixe de se inscrever no Inscreva-se no Rebrota – curso intensivo gratuito de jardinagem com Carol Costa (de 27 de julho a 1º de agosto) - clique aqui.

Materiais e plantas mostrados no vídeo:
begônia-cruz-de-ferro (Begonia masoniana), na Net Shopping Garden
alecrim (Salvia rosmarinus)
Cereus jamacaru
rosa-do-deserto (Adenium obesum), do Grupo Terra Viva

Figurino:
Carol usa colar, da Crua Design
blusa, da Yogini
tênis, da Outer Shoes
calça acervo pessoal

Inscreva-se no Rebrota – curso intensivo gratuito de jardinagem com Carol Costa (de 27 de julho a 1º de agosto) - clique aqui.

Minhas Plantas recomenda