Trocando orquídea de vaso

Assine a Universidade Minhas Plantas (clique aqui)

Trocar o vaso da orquídea é como fazer uma mudança pra uma casa nova: quando bem planejadinho, tudo vai rolar super bem! Se sua Phalaenopsis tá implorando por uma nova morada, este é o seu vídeo. Nossa jardineira Carol Costa mostra todos os pulos do gato pra que o novo lar da sua orquídea seja perfeito!

Cresce pra cima ou pro lado?


A primeira coisa que você deve fazer é verificar como é o crescimento da sua orquídea. Existem dois tipos: a monopodial, que cresce pra cima, com folhas intercaladas e, a simpodial, onde os pseudobulbos crescem pra lateral do vaso. Parece complicado, mas dá uma olhadinha no vídeo: Carol mostra duas imagens que ajudam bastante a entender os dois tipos de crescimento.

Orquídeas monopodiais


Orquídeas Phalaenopsis e Vanda são do tipo monopodial, com crescimento pra cima. As informações deste vídeo são pra te ajudar a trocar de vaso esses dois gêneros de orquídeas. No vídeo, Carol usa uma Phalaenopsis hybrid pra mostrar como é a troca de vaso. Muito importante: se a sua orquídea Vanda ou Phalaenopsis está com flores ou, acabou de vir do garden center, não precisa trocá-las de vaso. Agora, se as folhas da orquídea estão enrugadas, maltratadas e desidratadas, pode ser uma boa fazer o transplante pra um recipiente novo. Lembre-se de regar em abundância uns dois dias antes pra facilitar a troca de vaso.

Vaso e substrato apropriados


Aperte as laterais do recipiente e, puxe-o, segurando a planta – como diz nossa professora jardineira, segure o coelho e puxe a cartola, não o contrário! Remova o substrato velho com cuidado, pra não danificar as raízes. Mesmo que pareça seca e velha, nada de cortar raízes – o que você vê é o velame, uma capa que protege a raiz fininha. Escolha o substrato pra sua orquídea de acordo com a espessura das raízes: substrato bem triturado pra raízes finas e, mais pedaçudo, pra raízes grossas. Um vaso plástico transparente e com furos é o ideal pra esse tipo de orquídea. Use esfagno molhado pra envolver as raízes e enrole-a delicadamente, formando uma espécie de novelo.

Rega e adubação


Depois de transplantada a sua orquídea, não esqueça de adubá-la. Use um adubo completo, com macros e micronutrientes, como o Bokashi. Carol usou o Forth Bokashi. Não se esqueça das regas: orquídeas gostam de muita água e crescem em ambiente úmido, mas sem acúmulo de água. Molhe em abundância e, use um pano seco ou toalha de papel pra secar a água que possa ter ficado no miolo da planta – isso evita que a sua orquídea seja atacada por fungos e bactérias.

Sua orquídea é daquelas que têm pseudobulbos e cresce caminhando pelo vaso? Guenta aí que, logo tem vídeo mostrando como fazer a troca de vasos em orquídeas de crescimento simpodial.

Quer aproveitar e aprender muito mais sobre plantas os truques pra fazer com que elas fiquem mais bonitas e com mais flores? Assine a Universidade Minhas Plantas (clique aqui)

Materiais e plantas mostrados no vídeo:
Phalaenopsis hybrid
pote P15 de plástico
substrato pra orquídeas
musgo esfagno
tesoura de desbaste
Forth Bokashi

Figurino:
Carol usa vestido Lenny Niemeyer

Assine a Universidade Minhas Plantas (clique aqui)

Minhas Plantas recomenda