página inicial / vídeos

5 orquídeas para plantar no chão

Orquídeas podem ser plantadas na terra? Se for uma espécie terrestre, não tem erro! Conheça 5 orquídeas terrestres lindas neste novo episódio da série feita em parceria com o Shopping Garden e apresentada pela nossa jardineira Carol Costa.

Todas as plantas mostradas aqui você encontra em qualquer uma das três lojas do Shopping Garden: Tatuapé, Vila Nova e Sul – esta última, a unidade onde o vídeo foi gravado.

orquídea-bambu (Arundina bambusifolia)


A mais conhecida da lista é tão comum que muitas pessoas acabam se esquecendo que ela é uma orquídea – e olha que seu nome deixa isso bem claro. A orquídea-bambu é tão fácil de se ver por aí que até esquecemos que a moça é uma legítima espécie da família Orchidaceae. De porte grande, podendo ultrapassar fácil dois metros de altura, ela é super resistente e fácil de cuidar. Bastante utilizada em projetos paisagísticos, você não precisa andar muito pelas cidades para vê-la plantada próxima de muros ou em canteiros de prédios e condomínios. Mas, atenção: é preciso sol para a planta crescer e florir. Se o jardim recebe sombra do muro ou do prédio, nada feito. Realmente, é de confundir qualquer um: uma orquídea grande, fácil de cuidar, alta, que cresce no chão e gosta de sol! Parece o contrário de tudo aquilo que aprendemos sobre orquídea. Mas não deixe se enganar: a orquídea-bambu é, sim, uma orquídea!

sapatinho (Paphiopedilum leeanum e Paphiopedilum maudiae "Red")


Planta terrestre com flores bem estilosas, a sapatinho tem pétalas longas, com cor amarela, meio mostarda. O seu labelo – que é a parte da pétala da orquídea que possui uma estrutura diferente – tem a forma que dá o seu nome: lembra realmente um sapato de bico alongado. É uma planta que cresce bem rápido e bem fácil de cuidar. Não se engane, em um ano, haverá tantas folhas que você nem verá o substrato do vaso. Um sol fraquinho, solo sempre úmido (sem encharcar) e o resultado é uma sapatinho feliz, florindo muito. Tem também uma versão com flores roxas (Paphiopedilum maudiae "Red"). Em relação a Paphiopedilum leeanum, a Paphiopedilum maudiae "Red" tem de diferente, além da cor das flores, folhas mais grossas, opacas e com padrões. É um pouco mais difícil de encontrá-las, mas vale o esforço para ter um sapatinho de cada cor, né?

orquídea-pipoca (Ludisia discolor)


Plantas conhecidas pela beleza de suas flores, as orquídeas quase sempre possuem folhas bem básicas, quase sem-graças: verdes, longas e, uma ou outra, com nervuras discretas. Mas, quando se fala de orquídea-pipoca, a conversa é diferente. Sua folhagem é um espetáculo, mesmo quando está sem flores. Com um formato mais compacto, as folhas da ludisia são de um tom quase roxo e possuem nervuras verdes bem visíveis. Ótima para arranjos, os tons escuros de suas folhas contrastam e quebram a monotonia onde existe só folhagens verdes. O nome orquídea-pipoca não é por acaso: suas pequenas flores brancas com pontinhos amarelos lembram o milho estourado. Mesmo com sua aparência delicada, é uma planta bastante resistente e capaz de ocupar rapidamente todo o vaso. Mesmo crescendo quando tem bastante espaço e adubação, a ludisia é uma ótima planta para terrários.

gênero Cymbidium (Cymbidium hybrid)


Uma orquídea fácil de reconhecer, mesmo quando não tem flores, já que possui longas folhas, parecidas com um capim bem comprido. Mas é difícil ver um Cymbidium sem flor: este gênero chama a atenção pela quantidade de flores que produz. Alguns dão ramos eretos, outros, pendentes, mas sempre com uma quantidade enorme de flores. Antes, era possível encontrar plantas floridas somente no inverno, mas, hoje em dia, existem híbridos (cruzamentos genéticos) que florescem em todas as épocas do ano. Uma peculiaridade dessa planta é o momento do transplante: removê-la do vaso original é muito difícil, já que suas raízes se enroscam de um jeito que é preciso escolher entre a orquídea ou o recipiente. Não pense duas vezes: providencie uma tesoura para cortar e descartar o vaso. Aliás, a receita infalível para cultivar Cymbidiums bonitos é a seguinte: uma parte de substrato para mudas e outra de areia. Essa orquídea terrestre gosta de um solo mais drenado.

Orquídeas que não gostam de árvores


Viu como nem toda orquídea é epífita? Aliás, esse é o termo botânico usado para classificar as espécies que crescem sobre outras plantas. Se lembrou de samambaias, avencas, chifres de veados e tillandsias, você já sabe o que é uma planta epífita. A maioria das orquídeas são assim, gostam de árvores. Porém, existem também as espécies que se desenvolvem no chão e são plantas bem mais fáceis de cuidar. Olha que maravilha, juntar a beleza das flores de uma orquídea com a praticidade de uma planta terrestre! Nada de substrato especial ou vasinhos com furos: todas as espécies sugeridas nesta lista são de orquídeas sem mimimi!

Site do Shopping Garden
Instagram do Shopping Garden