Como cuidar de tulipas e fazer um arranjo de parede

Umas das flores mais desejadas, a tulipa é símbolo da Holanda e também de Holambra, a nossa cidade brasileira mais holandesa. E é vestida com os trajes típicos das holandesas que, nossa jardineira Carol Costa, mostra como é o cultivo, conta segredos e ensina a fazer um arranjo com essa incrível flor. Assista o terceiro episódio da série feita em parceria com o Jan de Vit, um dos maiores produtores de lírios e tulipas no Brasil.

Segredos da tulipa


A tulipa é bem popular, reconhecida até por leigos, e tem um formato bem característico. Aliás, a planta foi batizada por causa de sua forma: tulipa quer dizer "turbante" em turco. E, olha que interessante, quem acabou difundindo a flor por todo o mundo, foram os holandeses. Inclusive, é da Holanda que os bulbos saem em direção ao Brasil, direto para as estufas climatizadas da Jan de Wit. Para que essas "cebolinhas" se tornem as exuberantes tulipas, é preciso muita dedicação (e bastante tecnologia) do produtor: desde o armazenamento dos bulbos em câmaras frias (com temperatura abaixo de zero), passando pelas etapas de enraizamento e brotação, até chegar aos botões da flor. Imagine só reproduzir o clima de onde essas plantas florescem, simulando o inverno da Europa e terminando com o degelo da neve, no começo da primavera. Por isso que nenhuma geladeira ou refrigerador desses que temos em casa consegue enganar a esperta tulipa.

O maior produtor de tulipas do mundo


A Holanda se especializou tanto na produção da planta que 60% das tulipas comercializadas no mundo são de origem holandesa. E como não poderia ser diferente, Holambra foi o lugar escolhido pela nossa louca das plantas para mostrar como criar um arranjo incrível usando tulipas. Este vídeo é especial para amantes de flores, casais de namorados apaixonados e noivas que sonham em subir num altar carregando um buquê de tulipas nas mãos!

Como fazer um arranjo de parede com tulipas


Para criar um deslumbrante arranjo de parede, nossa jardineira Carol Costa usa fitônias e begônias, mas a estrela principal são as tulipas. Todos os detalhes do passo a passo estão no vídeo. A lista de materiais que você precisará é esta:

– 2 vasos com tulipas (Tulipa hybrida);
– 1 cuia de fitônias (Fittonia albivenis);
– 1 vaso pequeno de begônias "Beleaf Yukon Frost" (Begonia rex "Beleaf Yukon Frost");
– 1 prato de plástico para vasos na cor preta;
– pedaços de arame nº 18 (1,25mm) galvanizado ou não;
– 1 peça de cipó do tamanho do prato;
– musgo esfagno;
– musgo-fofão;
tesoura de desbaste;
– pincel macio.

Começando o arranjo


Com a tesoura, faça dois furos num canto dos pratos e, com o arame, crie um suporte. Assim, você poderá pendurar seu arranjo na parede. Com mais pedaços de arame, fixe o cipó dentro do prato, da mesma maneira utilizada para fixar o ganchinho para a parede: fure o prato com a tesoura, abrace o cipó com o arame e torça as pontinhas na parte de trás.

Amarrando as tulipas


Com o cipó bem fixo, comece a separar as tulipas. O truque para que seu arranjo dure o máximo de tempo possível é escolher plantas que ainda estejam com os botões bem fechados; dessa forma, as flores duram até 10 dias depois que começam a abrir. Faça da mesma forma que nossa jardineira Carol Costa mostra no vídeo: aperte as bordas do vaso e puxe a tulipa gentilmente pelo caule. Remova o substrato e, com o pincel macio, "espane" os bulbos. Usando a tesoura de desbaste, remova algumas folhas, para dar bastante destaque para as flores. Faça um arco com as tulipas, misturando as mais fechadas com as já abertas. Amarre as flores pelo caule, usando um arame e, prenda-as no cipó.

Envolendo os bulbos e raízes com esfagno


Com o musgo esfagno já molhado, misture um pouco do substrato que foi tirado do vaso das tulipas e envolva os bulbos com esse material. Isso disfarça as raízes no arranjo e ainda protege a planta, que continuará viva. O esfagno funciona como uma liga que vai segurar esse substrato que vêm nos vasos e é feito sob medida para as tulipas. Separe um pouco de fitônias, removendo o substrato gentilmente e mantendo só um pouco desse material nas raízes. O complemento será, novamente, o esfagno úmido misturado no substrato da fitônia. Em seguida repita o procedimento com a begônia.

Finalizando o arranjo com tulipas


Para finalizar o arranjo, use o musgo-fofão para envolver todas as raízes e esfagnos expostos. Com pedacinhos de arame, amarre beeeem apertado, fixando no cipó e, quando necessário, passando-o em novos furos no prato. O musgo-fofão serve de cobertura viva para manter a umidade do arranjo, impede que o substrato se solte nas regas e, pela sua característica fofa, ajuda a esconder o arame.

Como regar o arranjo com tulipas


Com o arranjo pronto, é só escolher um lugar de destaque na sua casa, mas longe dos raios solares. Para molhar, remova o arranjo da parede e, com um regador de bico fino, mire para molhar bem no local do substrato e dos musgos. Deixe o arranjo deitado e quietinho por uns 10 minutos, volte-o para posição vertical e aguarde para que o excesso de água escoe.

Pétalas de tulipas são comestíveis


Nossa jardineira Carol Costa ainda ensina mais um fato curioso: as pétalas da tulipa são comestíveis. O sabor, conforme ela mesmo conta, lembra alface e vagens de ervilhas. Mas atenção! Se for consumir as pétalas, lembre-se de ter certeza de que as tulipas não tenham sido cultivadas com nenhum produto tóxico! Jan de Wit é um produtor certificado. Suas tulipas possuem um selo indicando que não receberam nenhum agrotóxico ou pesticida. Desde o preparo do substrato, passando pelo cultivo e o pós-colheita, nadica de perigoso foi utilizado pelo produtor.

Olha que incrível! Você chegou até aqui querendo conhecer um pouco mais sobre tulipas e descobriu como elas são cultivadas no Brasil, viu os bulbos, acompanhou o passo a passo de arranjo lindo e ainda aprendeu que tulipa é uma PANC (planta alimentícia não convencional) – mas só quando o produtor é confiável (o Jan de Wit tem até certificação!). No próximo vídeo dessa série, o que será que nossa jardineira Carol Costa vai tirar da cartola (ou do turbante)?

Minhas Plantas recomenda