Como fazer sua orquídea florir

© Carol Costa/Minhas Plantas

Quem tem em casa uma orquídea que se nega a florir se sente um pouco traído. Depois de dar água, casa, comida e roupa lavada, de seguir à risca as orientações do vendedor, buscar informações extras no QR Code do produtor, pesquisar em sites especializados e, ainda assim, ver os anos passarem sem nenhuma florzinha... Pois é, não há orquidófilo iniciante que não fique chateado. Para deixar a gente ainda mais "mordido", não faltam amigos dizendo "Ih, essa espécie floresce que nem mato!" ou "lá em casa está na terceira florada este ano".
Há muitos motivos que levam uma planta a não florir, mas dois deles são os que acometem a maioria das plantas: falta de nutrientes – especialmente fósforo e potássio – e iluminação insuficiente. Isso explica porque mesmo uma orquídea que esteja com vírus é capaz de florir ou como um Dendrobium ou Oncidium simplesmente "esquecido" nas árvores, sem cuidado nenhum, viram enormes touceiras de flores. A verdade é que tendo nutrientes suficientes e recebendo uma dose generosa de luz natural, qualquer orquídea pode florir – inclusive aquelas que não fazem isso há anos. Pode se animar, sua orquídea tem salvação!

Os nutrientes mágicos


As plantas usam quantidades consideráveis de nitrogênio, fósforo e potássio para se desenvolver, mas estes estão longe de ser os únicos nutrientes de que elas precisam. Grosso modo, nitrogênio (N) regula a fotossíntese, o crescimento e a construção de proteínas e aminoácidos. Fósforo (P, do grego phosphorus) estimula a produção de raízes e, em parceria com potássio (K, do latim, kalium) e boro (B), está na base da construção de folhas, flores e frutos. Sem fósforo, potássio e boro, árvores frutíferas produzem frutos secos e pequenos, ervas e leguminosas ficam com as folhas azuladas ou púrpuras e as orquídeas simplesmente não florescem. Como o boro é considerado um micronutriente, ele raramente aparece nas composições padrão de NPK.

Na "vida selvagem", as plantas buscam sua "comida" por conta própria, explorando com as raízes novas áreas de solo até encontrar um elemento químico que esteja em desequilíbrio. O boro está na composição de quase todos os tipos de terra, enquanto o potássio vem das cinzas e do leito de lagos e oceanos. Já o fósforo faz parte de tudo o que teve sangue ou vísceras: de pequenos roedores a grandes mamíferos, resíduos animais liberam fósforo (e outros nutrientes) durante o processo de decomposição.
Só que ninguém é louco de deixar uma Laelia cheia de cinzas ou de esperar um camundongo apodrecer em cima de uma Vanda premiada, certo? Então, o único jeito de fazer uma orquídea em vaso dar flor é oferecendo à planta adubo regularmente, seja mineral (o famoso NPK), seja orgânico (como Bokashi, fosfato de rochas, farinhas de peixe, sangue e osso, entre outros). A frequência de aplicação vai depender do tipo de adubo escolhido, que pode ser líquido, granulado ou em pastilha, mas também de absorção rápida ou de liberação lenta.

Sol, modo de usar


Se você está acostumado a adubar sua orquídea e nem assim ela floresce, vamos à segunda hipótese mais comum para a frustação: baixa incidência de luz natural. As folhas estão saudáveis e bem verdinhas? Até nascem brotos da haste da Phalaenopsis? Seu Dendrobium está carregado de keikis? Bingo! Estão aí os sinais de que falta luz. Não precisa mais achar que seu dedo é "podre", não, porque, neste caso, a culpa é do vendedor que insiste no bordão "orquídea não gosta de sol".
A maioria das orquídeas aprecia uma pequena quantidade de sol fraco, aquele do início da manhã. Se você for aos poucos aclimatando a planta, Phalaenopsis, Oncidium, Dendrobium, Cattleya e muitos outros gêneros poderão se beneficiar do sol das 6h às 9h. Isso mesmo, sol direto nas folhas, mas aquele beeeem fraquinho, o mesmo que os médicos recomendam ser prudente para levar um bebê à praia. Gêneros mais rústicos podem ficar "tostando" o dia todo sem o menor problema, como é o caso de Epidendrum, Cyrtopodium, Arundina e outras orquídeas terrestres de sol pleno.
Para testar se é mesmo falta de luz, faça a mudança devagar, aproximando o vaso de um local ensolarado um pouquinho por semana, para dar tempo de a orquídea se acostumar. Curiosamente, boa parte das plantas ornamentais vem de estufas teladas, que facilitam o trato cultural, mas dificultam nossa vida nesse processo de tornar as espécies, digamos, mais resilientes.

postado em 2/10/2017 - Leia mais
© Juliana Valentini/De Verde Casa

Comece a trabalhar hoje mesmo com plantas

Nossa jardineira Carol Costa dá uma dica de ouro para quem quer começar ainda hoje a trabalhar com plantas – sim, é totalmente possível e, ela tem conhecimento no assunto. Imagine o quanto passou uma jornalista experiente e com 20 anos de profissão que decide trilhar uma nova carreira no … (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Livro Cactos e outras Suculentas para Decoração

Quem é fã de cactos e suculentas sabe o quando é difícil encontrar informações sobre essas plantinhas queridas. Classificar a coleção de "gordinhas" e identificar as espécies com exatidão é uma tarefa árdua. Pesquisar na internet acaba trazendo mais dúvidas do que soluções. Mas, respire aliviado, porque o tempo de … (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Por um mundo mais verde e menos cinza

Nossa piracicabana Carol Costa conta um pouco sobre como mudou de área, trocando 15 anos de vida de escritório pela melhor carreira da sua vida: jardineira. No texto abaixo, publicado originalmente no Instagram, a ex-jornalista mostra que escolher o próprio caminho é possível, e que vale a pena investir e … (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

O básico sobre orquídeas Phalaenopsis

Orquídeas são uma das flores mais utilizadas para presentear, e no Dia das Mães não é diferente. Depois de ganhar a planta, vem a pergunta que muitas pessoas fazem: e agora, como cuidar desta bela flor? Nossa jardineira Carol Costa ensina os cuidados básicos para as mamães felizardas e futuras … (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Trabalhar com plantas é fácil, acessível, e pode ser sua próxima carreira

O verde acolhe todos. Plantar em um jardim ou vaso é algo democrático, acessível e simples, mesmo para quem é jardineiros de primeira viagem. Nossa jardineira Carol Costa conta neste texto, como as plantas conseguem reunir pessoas de várias áreas. Profissionais como jardineiros, paisagistas, produtores de espécies ornamentais e alimentícias … (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Como saber se uma planta é tóxica ou segura para seu pet

Existe uma fonte segura com uma lista de plantas que são tóxicas para animais? Nossa jardineira Carol Costa costuma responder muitas perguntas sobre essa dúvida comum de amantes de jardinagem e também são tutores de pets. Antes de ficar apavorado com notícias da internet, principalmente casos isolados, e sair divulgando … (+)
Leia mais
© Alexandre Pavan/Minhas Plantas

Tenha mais plantas e use menos desinfetantes

O verde domesticado A jardinagem ganha cada vez mais espaço em casas, escritórios e apartamentos – mas nunca estivemos tão distantes do quintal de terra dos nossos avós Por Carol Costa Uma criança precisa de menos de 20 minutos fazendo bolinhos de terra ou correndo descalça no gramado para ir … (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Como ter uma horta dentro de casa mesmo sem sol

Este é o canto mais escuro da minha cozinha, distante 3,5 metros da janela face Sul, aquela que recebe só claridade, nunca sol. Não poderia ser um lugar mais impossível pra se ter uma horta e, no entanto, aqui estão minhas verdinhas com dez dias de vida, crescendo animadas nesse … (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

A Louca das Plantas - detalhes do episódio 8

Nossa jardineira Carol Costa fez no episódio 8 do programa A Louca das Plantas, no GNT, um jardim mediterrâneo em uma cobertura! Os desafios era acabar com o vento, o que impedia o cultivo de qualquer planta. Nossa louca piracicabana também queria criar não só um jardim, mas um espaço … (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

A Louca das Plantas - detalhes do episódio 7 (selva urbana)

Nossa jardineira Carol Costa fez no episódio 7 do programa A Louca das Plantas, no GNT, uma verdadeira selva urbana. Uma das salas do apartamento da Fernanda e do Andrés tinha uma janela enorme, muita claridade, uma mesa com quatro lugares, e, alguns vasinhos com as plantas bem tristes, já … (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

A Louca das Plantas - detalhes do episódio 6

Um apartamento pode ter muitas plantas, só é preciso escolher as espécies corretas, e é exatamente isso que nossa jardineira Carol Costa fez no episódio 5 do programa A Louca das Plantas no GNT. Olhando a disposição das janelas, nossa louca piracicabana entendeu que a sala recebe uma quantidade de … (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

A Louca das Plantas - detalhes do episódio 5

Dá para ter uma mini-fazenda em um... quintal? Claro que dá! Com direito a horta, jabuticabeira, orquidário e muitas, muitas plantas. No episódio 5 do A Louca das Plantas do Canal GNT, nossa jardineira Carol Costa mostrou dicas de como impedir que um gato atrapalhe o cultivo de uma horta … (+)
Leia mais