cana-índica
  • Nome popular cana-índica
  • Outros nomes cana-do-brejo, biri, bananeirinha-da-índia, bananeirinha-de-jardim
  • Categoria flores
  • Ordem Zingiberales
  • Família Cannaceae
  • Subfamília
  • Tribo
  • Subtribo
  • Gênero Canna
  • Espécie canna-índica
  • Origem América do Sul
  • Tamanho até 1,5 metros
  • Propagação por bulbo e por divisão de touceira
  • Iluminação
    sol pleno
  • Rega muita água
  • Plantio
    o ano todo
  • Perfumada sim
  • Floração
    o ano todo
  • Frutos não comestíveis

A cana-índica é um cruzamento de tantos pais e mães que, hoje, é quase impossível montar a árvore genealógica dos múltiplos híbridos dessa planta. Os exemplares originalmente surgidos da mistura da brasileira Canna indica com a norte-americana Canna flaccida deram o pontapé inicial para a grande variedade de cores dessa bela folhagem tropical.

Há cultivares de flores amarelas, alaranjadas, rosadas, avermelhadas, carmins e também ostentando uma mistura de duas ou mais cores. Rainha de lugares ensolarados, quentes e muito úmidos, a cana-índica tem as folhas finas e largas, que se enrolam quando o ar está muito seco. As flores, que surgem praticamente o ano todo, são muito duráveis apesar da imagem de fragilidade que suas pétalas demonstram ter. Reunidas em grupos da mesma cor, as variedades dessa planta fazem maciços impressionantes, com até 1,5 m de altura, gerando a cada ano muitas brotações inferiores, que podem ser separadas depois de uns meses para formar novas mudas.


Como adubar e cuidar da canna-índica


Se sua cana-índica começar a ficar rala no pé, aproveite para acrescentar matéria orgânica ao solo e cobri-lo com uma grossa camada de palha, uma forma esperta de manter umidade e adubar ao mesmo tempo. Prefira usar substrato para mudas misturado com areia e composto orgânico em partes iguais se for plantar pela primeira vez, acrescentando a cada seis meses um pouco de húmus de minhoca na superfície. Por seu porte grande e pelas flores surgirem mais no alto da planta, a cana-índica não fica bonita em vasos, ao contrário do show que dá em canteiros. Se ainda assim quiser usá-la em um recipiente fechado, prefira vasos largos e baixos, como grandes bacias, que poderão comportar muitas mudas no mesmo espaço.

Minhas Plantas recomenda