Qual é o tipo correto de esfagno para orquídeas?

Francine Moreira Villaça
© Carol Costa/Minhas Plantas

Francine, o esfagno é um musgo que nasce espontaneamente em beira de lagos e riachos. Não é cultivável, apenas extraído dessas regiões – justamente por isso, pode ser que entre em extinção daqui a algumas décadas, uma vez que estamos retirando mais rápido do que ele consegue se reproduzir. Há dois tipos de esfagno, o nacional, de coloração creme, mais barato e fácil de encontrar, e o chileno, que é rosado, mais caro e difícil de encontrar (o substrato do Epigeneium nakaharaei aí da foto). Os dois servem para mudas e orquídeas que precisam de muita umidade nas raízes. A única diferença, além do preço, é que o esfagno-do-chile dura mais do que o nacional, exigindo substituição em uns 4, 5 anos (o nacional estraga em uns 3 anos). Nenhum dos dois passa por algum tipo de branqueamento, pelo contrário: por ser uma mera extração, eles vêm em estado bruto, até com restos de folhas, galhos e outras sujerinhas. Pode usar sem se preocupar. Uma observação: esfagno não é nenhum dos musgos usados por floristas para enfeitar os arranjos. O verdinho é musgo-fofão e o branco "fiapento" se chama barba-de-bode.

Veja também:
Dúvida: O que significa substrato? Qual uso em orquídeas?
Dúvida: Quando e como devo trocar o musgo das plantas-carnívoras?
Plantas: Tudo sobre xaxim