página inicial / blogs / Carol Costa

Orquídeas, as rainhas da mentira

© Carol Costa/Minhas Plantas
Cartola tinha razão quando cantava que "as rosas não falam" – só que o compositor carioca esqueceu de dizer que elas não se contentam em simplesmente exalar "o perfume que roubam de ti". Toda flor nasceu para mentir e ludibriar. Orquídeas, então, nem se fala, são as rainhas da enganação.

Para atrair o polinizador certo, as orquidáceas podem ter cores chamativas, labelos que lembrem insetos, pétalas perfumadas e até mesmo comestíveis, como é o caso do Cymbidium serratum. Nativa da China, essa espécie é alimento de um camundongo (Rattus fulvescens): enquanto ele devora a flor, esbarra nos grãos de pólen e os carrega para outro C. serratum, realizando a fecundação. A orquídea pode até ter sido sacrificada, mas sua próxima geração, não.

Perfumes e formas que imitam insetos


Dentre os gêneros que mais iludem os polinizadores estão as flores de Ophrys, não à toa chamadas popularmente de "orquídeas-abelhas". Típicas da Europa, essas orquídeas têm labelos que copiam quase à perfeição o corpo das vespas que as polinizam. Não bastasse tal artimanha, as Ophrys ainda produzem um ferormônio idêntico ao que as abelhas fêmeas exalam para atrair os machos. Pronto, está montada a farsa que ajudará as orquídeas a levar seu pólen a flores que estão distantes até vários quilômetros.

Outro grupo bastante famoso na arte de enganar é o dos Bulbophyllum. A cor das flores, seus pelos e o cheiro de carniça que elas têm fazem a mosca-varejeira achar que encontrou o lugar perfeito para botar seus ovos. Depois de perambular pela planta atrás da carne podre que vai alimentar seus filhotes, a mosca desiste – mas até que isso aconteça, ela andou tempo o bastante para ajudar a produzir os "filhotes" do Bulbophyllum.

Se você ainda tem alguma dúvida do "cinismo" das orquídeas, aqui vai o caso mais extremo de uma planta sacaneando seu polinizador. À primeira vista, o gênero Coryanthes tem flores de aspecto bizarro, mas uma olhada mais atenta mostra que as pétalas e o labelo foram modificados para formar um "laguinho" de óleos aromáticos muito atrativo para as abelhas Euglossini. Ao cair no líquido, o inseto se vê obrigado a rastejar por um dreno estreito – justamente onde estão escondidas as polínias. Se o inseto for muito pequeno, acaba morrendo afogado. Se for grande demais, idem. Para evitar equívocos, a Coryanthes tem uma espécie de "toldo", que ao mesmo tempo esconde o "laguinho" e também protege o líquido da chuva, que poderia diluir os óleos, revelando a armadilha para as Euglossini.

Coevolução - quando o os dois evoluem juntos


Como se vê, tudo é feito tão sob medida que fica difícil saber quem veio primeiro, se a planta ou seu polinizador. Os botânicos trabalham com a ideia de coevolução, onde os ajustes de um e de outro lado teriam ocorrido gradual e simultaneamente. Aliás, foi essa a conclusão a que chegou o naturalista inglês Charles Darwin (1809-1882) ao estudar a orquídea-cometa (Angraecum sesquipedale). Ele estava intrigado em saber porque a espécie tinha um nectário tão longo, uma raridade entre as orquidáceas. Décadas depois de sua morte, os cientistas descobriram que o Angraecum é polinizado por uma mariposa que tem uma língua (o "probóscide") de 20 cm, o tamanho exato do nectário de A. sesquipedale. Trata-se da mariposa Xanthopan morganii praedicta, que precisa colar seu corpo à flor para alcançar o líquido açucarado que fica no fundo do nectário e, assim, esfregar na coluna os grãos de pólen de outro Angraecum, promovendo a reprodução da planta. Uma encenação tão bem feita que levou mais de 130 anos após a hipótese levantada por Darwin para, de fato, ser revelada. Que as mariposas não nos ouçam, mas elas vêm sendo "usadas" todos esses anos.
postado em 11/09/2017 - Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Feliz dia do Jardineiro

Parabéns pra você, pessoinha cheia de dúvidas e inseguranças, mas que enfia as mãos na terra com uma coragem que nem sabe de onde vem. Um viva procê que deixa o manjericão dar flor pras abelhas, pra você que salva joaninhas da chuva e alimenta minhocas como se fossem pets ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Arranjo com rosa-de-pedra e cacto-coração

Sedum, senécio, rosa-de-pedra, barba-de-moisés e cacto-coração dividem espaço amigavelmente neste arranjinho de suculentas feito num vidro quadrado da T.S. Brasil. Esse tipo de arranjo agrupa aquelas pessoinhas que não necessariamente cresceriam juntas na natureza, mas que, aqui, funcionam lindamente como bests. É que a barba-de-moisés que faz esse cabelinho ... (+)
Leia mais
© Brunna Mancuso

Livro 365 Dias Para Plantar, de Carol Costa

O que falta para você começar um cantinho verde em casa? Qual empurrãozinho precisa pra se animar e plantar hoje mesmo aquela hortinha na cozinha? Que plantas você tentou ter e não foram pra frente? Essas são algumas das perguntas que usei como ponto de partida pra escrever o "365 ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

A vez das orquídeas terrestres

Orquídeas terrestres passaram anos como cidadãs de segunda classe, longe dos mimos destinados a >Cattleyas, Laelias e tantas outras epífitas "nobres". Pois se prepare para uma virada nessa situação. Com a escassez de água nos anos anteriores, e uma busca cada vez maior por jardins mais baratos e fáceis de ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

O be-a-bá das orquídeas para iniciantes

Entenda de uma vez o que significam alguns dos termos complicados mais encontrados nos livros de botânica e jardinagem O que é epífita Essa palavrinha em latim quase sempre é usada para designar orquídeas, mas elas não são as únicas "plantas que crescem em árvores", conforme a tradução livre do ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Como fazer boas fotos de suas plantas

Velocidade do obturador, abertura do diafragma, balanço de brancos, profundidade de campo focal... Entender esses termos difíceis pode tornar a vida de um colecionador de orquídeas bem complicada quando se deseja apenas guardar boas imagens das plantas. É por isso que a câmera do celular tem se transformado na ferramenta ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

7 momentos que revelam seu Lado Verde da Força

Carol Costa, a jardineira escritora que acaba de lançar mais um livro, "Minhas Plantas — Jardinagem Para Todos (Até Quem Mata Cactos)" (já tinha lançado o "Horta Em Vasos"), costuma escrever textos incríveis não só no site mas também nas redes sociais, como o Instagram (aproveite para seguí-la clicando aqui). Esta ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Como fazer sua orquídea florir

Quem tem em casa uma orquídea que se nega a florir se sente um pouco traído. Depois de dar água, casa, comida e roupa lavada, de seguir à risca as orientações do vendedor, buscar informações extras no QR Code do produtor, pesquisar em sites especializados e, ainda assim, ver os ... (+)
Leia mais
© Luciana Festi/GNT

7 truques para driblar a estiagem no orquidário

Manter as orquídeas bonitas e saudáveis tem sido um desafio em tempos de estiagem. O que poucos sabem é que aposentar o esguicho pode ser muito bom também para seu orquidário – afinal, existem muitas outras formas de manter as plantas úmidas sem desperdiçar nenhuma gota de água. Aqui vão algumas ... (+)
Leia mais
© Edna Fróes/Agapanthus Floricultura

Do primeiro milhão ao milhinho no quintal

"Emagreça até 9 kg por semana com a dieta do limão!" Já tinha perdido as contas de quantas reportagens sobre regimes malucos passaram pelas minhas mãos quando eu ainda tinha outra vida, a de jornalista. Entediada, olhei pela janela. Fazia uma manhã ensolarada lá fora. As grevíleas balançavam ao vento ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

A história da produção de baunilha

"– Uns quinze anos atrás, meu pai foi convencido por um francês a investir numa plantação de baunilha no Taiti, mas a plantação não deu certo. – O clima é perfeito e as trepadeiras cresciam, chegavam a dois metros de altura. Davam flores do tamanho de um punho, que vicejaram e morreram ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

5 passos para levar a coleção a sério

Todo colecionador de orquídeas começou do mesmo jeito: ganhou um vaso aqui, comprou outro acolá, adotou uma planta quase morta que viu abandonada na rua e, depois de algum tempo, já tinha a casa cheia de verde. E aqui começa a bifurcação no caminho de quem vai seguir como um ... (+)
Leia mais
mostrar mais