página inicial / guia de plantas / orquídeas
orquídea-cometa
  • Nome popularorquídea-cometa
  • Outros nomesangreco
  • Categoriaorquídeas
  • OrdemAsparagales
  • FamíliaOrchidaceae
  • SubfamíliaEpidendroideae
  • TriboVandeae
  • SubtriboAngraecinae
  • GêneroAngraecum
  • EspécieAngraecum sesquipedale
  • OrigemMadagascar
  • Tamanho30 cm (flores de até 20 cm)
  • Propagaçãopor divisão de touceira
  • Iluminação
    meia sombra
  • Regamuita água
  • Plantio
    o ano todo
  • Perfumadasim
  • Floração
    inverno
    primavera
  • Frutosnão comestíveis
Das aproximadamente 200 espécies conhecidas desse gênero, a orquídea-cometa é a mais estudada pelos botânicos que pesquisam a estreita relação entre uma planta e seu agente polinizador. É que essa planta carnuda e perfumada, típica de Madagascar, faz algo incomum para as orquídeas: produz néctar.

Orquídea-cometa produz néctar em suas flores


Para atrair o inseto certo que irá carregar seus preciosos grãos de pólen até outra flor, a orquídea-cometa coloca o líquido açucarado no fundo de um tubinho fino e comprido. Só uma mariposa que tenha uma língua longa o bastante - e bota linguaruda nisso, porque o tubinho tem quase 20 cm! - será capaz de alcançar o néctar e, consequentemente, polinizar a flor. Não à toa seu sobrenome científico, sesquipedale significa, em latim, "de um pé e meio", em referência ao tamanho do seu nectário.

Uma das mais perfumadas orquídeas


É também para atrair esse inseto de hábitos noturnos que a orquídea-cometa só exala seu perfume à noite (o cheiro lembra o da gardênia e da dama-da-noite). E como as mariposas não costumam enxergar as cores direito, essa planta inteligente produz flores bem grandes, brancas ou creme, para ficar bem visível a seu polinizador. É por essas e outras maravilhosas adaptações coevolutivas que a orquídea-cometa foi longamente estudada pelo naturalista Charles Darwin e ganhou destaque nos anais da biologia.

O clima, as regas e o substrato ideal para a orquídea-cometa


Essa espécie aprecia clima quente, úmido e bem ventilado na primavera e verão e um descanso mais seco e fresco no inverno. Mantenha seu vaso em local de muita luminosidade, mas sem sol direto, que causa queimaduras nas folhas. O melhor tipo de substrato é uma mistura de carvão e casca de pínus, mas experimente também variações regionais que não retenham muita água, como semente de açaí ou babaçu.

Por ser uma orquídea de crescimento muito lento, evite transplantá-la - e, ao fazê-lo, dê atenção especial às raízes para não parti-las, já que a orquídea-cometa demora meses para se recuperar de machucados e ressente muito as mudanças bruscas de ambiente.