página inicial / guia de plantas / frutíferas
cacau
  • Nome popular cacau
  • Outros nomes cacau, cacao, chocolate, massaroca, cacao-forasteiro, cacau-da-bahia, cacau-do-brasil, cacau-verdadeiro
  • Categoria frutíferas
  • Ordem Malvales
  • Família Malvaceae
  • Subfamília Byttnerioideae
  • Tribo Theobromateae
  • Subtribo
  • Gênero Theobroma
  • Espécie Theobroma cacao
  • Origem México, Onduras e Venezuela
  • Tamanho até 7 m
  • Propagação por estaca e por semente
  • Iluminação
    meia sombra
    sombra
  • Rega muita água
  • Plantio
    o ano todo
  • Perfumada sim
  • Floração
    o ano todo
  • Frutos comestíveis
Você é daqueles que troca qualquer sobremesa por uma caixa de bombons? Então, agradeça aos maias e astecas por isso, afinal, desde 1500 a.C. essas civilizações já consideravam o cacau sagrado. Só que a bebida feita por aqueles povos não tinha nada a ver com um gostoso chocolate quente – aliás, nem doce era, parecia um chá muito amargo e... apimentado! Se a ideia de um cacau com esse sabor lhe soa estranha, você se surpreenderia ainda mais ao pegar um fruto na mão.

A fruta do cacaueiro tem o jeitão de uma bola de futebol americano: passa dos 40 cm, é pesado e ovalado, com uma casca tão dura que é preciso uma boa faca de serra para parti-la. Dentro, as sementes ficam envoltas por uma polpa doce que lembra em sabor e aparência uma fruta-do-conde.

Cacau fornece sementes e poupa que se torna alimentos


Essa polpa branca ainda não é a base do chocolate – o doce que tanto amamos vem da semente, muito amarga, que precisa fermentar, secar e tostar. Ao pó do cacau, acrescenta-se, então, leite, açúcar, aromatizantes e toda sorte de complementos, como licores, passas e crocantes.

Os usos do cacau estão longe de se restringirem às sobremesas. Na Amazônia, se produz um xarope caseiro muito comum chamado "capilé", servido como licor. Na Colômbia, as folhas do cacaueiro são a base de um chá diurético. No México e na Venezuela, o óleo extraído das sementes é colocado sobre feridas e queimaduras, acelerando a cicatrização. Essa propriedade renovadora se deve ao glicerol, substância da manteiga de cacau que se transforma em produtos para hidratar mãos e lábios. Outro princípio ativo importante do cacaueiro é a teobromina, que tem ação vasodilatadora e vem sendo bem explorada pela indústria farmacêutica em remédios para controlar a pressão.

O plantio do cacaueiro no Brasil


No Brasil, o cacaueiro se deu bem no clima da Bahia, principal estado produtor da espécie. A árvore alcança 6 metros e tem flores brancas perfumadas, que lembram orquídeas e surgem em cachos direto do tronco. As sementes precisam de sol pleno e solo fértil para se desenvolver: prepare a cova com uma misture de terra, esterco (de vaca ou frango) e calcário dolomítico, um produto encontrado em casas agrícolas que deixa o solo menos ácido. Plante a semente a 1 cm de profundidade, para que ela tenha força de brotar, caso contrário, morre por fungos.

Para a árvore se desenvolver rapidamente e, em três anos, produzir os primeiros frutos, adube-a com sulfato de amônio, superfostato simples e cloreto de potássio a cada três meses, todos fertilizantes vendidos em grandes casas de jardinagem.

Do pé de cacau ao ovo de Páscoa


"Como o chocolate virou ovo?", você deve estar se perguntando às vésperas da Páscoa. Muito antes de o cristianismo existir, os povos do Oriente, do Mediterrâneo e do Leste Europeu já cultivavam o hábito de trocar ovos decorados para comemorar a chegada da primavera e o início da vida. Naquela época, eles eram de galinha. Em 325 d.C., surgiu a ideia de aproveitar o símbolo para celebrar a ressurreição de Jesus. E só no século 18 é que os confeiteiros franceses resolveram transformar os ovos pequeninos de galinha em sobremesas comestíveis e prazerosamente lambuzentas. Que boa ideia a deles!