página inicial / blogs / Carol Costa

A história da produção de baunilha

© Carol Costa/Minhas Plantas
"– Uns quinze anos atrás, meu pai foi convencido por um francês a investir numa plantação de baunilha no Taiti, mas a plantação não deu certo.
– O clima é perfeito e as trepadeiras cresciam, chegavam a dois metros de altura. Davam flores do tamanho de um punho, que vicejaram e morreram sem nunca der uma maldita fava. O que foi que deu errado?"

O diálogo acima foi extraído do livro A Assinatura de Todas as Coisas, de Elizabeth Gilbert, autora do best-seller Comer, Rezar, Amar. Apesar de ser uma ficção, o romance tem sólida base histórica, inclusive no que diz respeito à Vanilla, gênero de cerca de cem espécies das quais se extrai a baunilha.

A viagem da baunilha da América Central para à Europa


No livro como na vida real, essa orquídea trepadeira originária da América Central foi levada à Europa pelos espanhóis, onde seu inconfundível aroma conquistou a nobreza. No início do século XIX, botânicos e exploradores se lançavam em expedições ao México e à Guatemala, de onde retiravam mudas de Vanilla planiflora para cultivá-las no Taiti, Indonésia, Madagascar, Polinésia Francesa e em outras colônias de clima tropical.

Curiosamente, a planta prosperava bem nesses países, mas não frutificava. Só que era justamente a fava comprida, seca e fermentada que interessava, aquela maravilha gerada pela flor fecundada, onde uma alquimia de mais de 250 ingredientes ativos produz o mais caro aromatizante vegetal do mundo, a vanilina. Para se ter uma ideia, o extrato natural da baunilha pode custar US$ 4 mil o quilo, disputado a tapa por indústrias tão diversas quanto a de alimentos e a de perfumes. Nem toda a tecnologia foi capaz de suplantar a natureza, de modo que o aroma artificial de baunilha não chega aos pés do buquê produzido até mesmo por espécies consideradas menos aromáticas, como V. Java, V. tahitensis e V. Pompona, usadas na produção de charutos e cosméticos.

Fã de temperaturas que nunca ficam abaixo dos 20ºC, esse gênero de orquídeas aprecia sol direto pela manhã, alta umidade do ar e ambiente arejado. Suas folhas e caules são carnosos, dando à planta a aparência das suculentas. Se cultivada em terra bem adubada, a baunilha passa dos 2m de altura, produzindo flores amarelo-esverdeadas entre o segundo e terceiro ano de cultivo.

Porque as orquídeas de baunilha não dão favas?


E aqui voltamos à pergunta do romance: por que as baunilhas não dão flores fora de seu habitat natural? A resposta, dada corretamente por outro personagem, é que elas necessitam de polinizadores especializados para frutificarem – no caso, abelhas e beija-flores endêmicos da América Central, capazes de driblar a complexa morfologia da flor e levar com êxito os grãos de pólen ao ovário. É graças a esse trabalho eficiente que a baunilha encapsula e, depois de nove meses, está em ponto de colheita. Após esse período, a fava passa por três banhos em água quente, quase fervente, para começar o processo de fermentação e secagem que vai intensificar o perfume das minúsculas sementes.

Na impossibilidade de "importar" os polinizadores, os produtores de Vanilla recorrem a um artifício delicado e trabalhoso, a polinização manual artificial. É exatamente como soa: com um pincel e mãos ágeis, um trabalhador imita o inseto ou pássaro, "pincelando" flor a flor na tentativa de fecunda-las. Isso e mais os riscos de contaminação por fungos e bactérias durante o processo de secagem das favas torna o cultivo de baunilha extremamente elaborado – e caro.

Plantando baunilha na sua casa


No Brasil, especialmente na região amazônica e no que restou da Mata Atlântica, tenta-se ainda timidamente cultivar Vanilla planiflora apoiada em mudas jovens de seringueiras e limoeiros. Mesmo aqui, a polinização precisa ser manual e ainda tem baixa produtividade. Portanto, se quiser ter uma Vanilla em casa, não espere colher tão cedo os louros – ops, os frutos! – de um bom cultivo.
postado em 2/09/2017 - Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Jardim para bruxas reais e fadas inventadas

Pelo olhar da infância, mesmo o menor dos canteiros esconde mistérios e seres mágicos, como grilos, joaninhas e mariposas Por Carol Costa Lembro do tanque de pedra, do cheiro de local úmido e sombreado, do limo escorregadio e do musgo fofo e macio. Lembro da água parada, um espelho perfeito ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Um quintal para uma jardineira de apartamento

Da jardineira de apartamento que ganhou um quintal As descobertas e os aprendizados de morar por alguns meses numa casa em Holambra (SP) para construir um jardim com as próprias mãos Por Carol Costa Abri a tampa do tambor, de onde vinha um cheiro penetrante de comida estragada: embaixo de ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Livro de Carol Costa é um manual para jardineiros

Nossa jardineira Carol Costa quer saber dos leitores como está o seu livro "Minhas Plantas - Jardinagem Para Todos (Até Quem Mata Cactos)". Já se passou um ano desde o lançamento e o livro tornou-se um querido manual para jardineiros de todo o Brasil. A piracicabana ainda brincou e desafiou seus ... (+)
Leia mais
© Alexandre Pavan/Minhas Plantas

Corretor Ortográfico Ou Hortográfico?

Plantando dementes em ladeira íngrid É tanta mensagem doida e enigmática que chega por aqui que está na hora de inventarem um Corretor Hortográfico, para ajudar a gente a tirar dúvidas de jardinagem Por Carol Costa Anote a dica aí: jogue "dementes" num terreno "vadio" que ainda tenha a terra ... (+)
Leia mais
© Bruno Geraldi

Aprenda a linguagem das plantas

Plantês para iniciantes Treine sua sensibilidade com este exercício simples, feito um minuto por dia, e veja como falar a língua das plantas ficará super fácil Por Carol Costa As pupilas estavam tão dilatadas que mal se via o amarelo nos olhos da gata. O rabo balançava freneticamente enquanto ela ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Insetos benéficos para seu jardim

Seres crocantes embaixo dos seus pés Se permita um novo olhar para besouros, aranhas, baratinhas e outras criaturas cheias de perninhas que trabalham pesado para seu jardim viver cheio de borboletas Por Carol Costa "Manhê!!! Tem um BICHO aquiiiii!" Dona Bia invadia o banheiro, abria o box com superpoderes de ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

A mensagem das pragas

A mensagem das pragas O que pulgões, formigas e cochonilhas podem dizer sobre a maneira como lidamos com nossa alimentação e o cuidado com as plantas Por Carol Costa Como exterminar lagartas? É possível erradicar pulgões? Tem alguma receita caseira matadora para cochonilhas? Toda semana me deparo com esses apelos ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Porque algumas plantas não se desenvolvem na sua casa

Quando a insistência enraiza no quintal Se você já tentou dezenas de vezes ter uma planta e ela sempre morre, um novo olhar para a natureza talvez seja a salvação Por Carol Costa "É a quinta vez que tento ter _________ em casa." Complete o espaço em branco com a ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Plantas com flores pequenas e exóticas

Uma planta conversando com Deus Conheça algumas flores discretas, minúsculas ou exóticas que parecem não ter pegado a mesma senha que roseiras e jasmineiros. Por Carol Costa É aqui a fila da flor? – É sim, meu filho. No que posso ajudar? – Olha, eu tô muito precisado da sua ajuda. Tem ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Um jardim pronto ou plantado por você?

Um jardim para já O passo a passo secreto para fazer um projeto paisagístico de sonhos em apenas... uma vida! Por Carol Costa "De que sabor é esse doce que você está comendo, Laurinha?" A pequena olha a embalagem como se soubesse ler, pensa um pouco e diz "sabor de ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Como ensinar jardinagem para crianças

Os feijões mágicos Eles não cresceram até revelar um lugar com a galinha dos ovos de ouro, mas trouxeram tesouros muito maiores para as crianças que aprenderam na escola a cultivar uma sementinha. Por Carol Costa "O meu ganhou! O meu ganhou!" Minha irmã entrou no quarto aos pulos, trazendo ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Brincar na terra e com plantas é bom para crianças e adultos

Tesouros escondidos lá fora Procurar bichinhos, subir em árvores, comer trevinhos e fazer bolo de barro são algumas aventuras que esperam você e seus filhos bem longe do computador. Por Carol Costa A receita era de família: um maço de trevos bem picados, água o quanto baste, dois punhados de ... (+)
Leia mais
mostrar mais