página inicial / blogs / Carol Costa

5 segredos para você fazer um jardim vertical com suas próprias mãos

© Elisa Mendes/GNT
"Mas pintar a parede de preeeeto?" Alguém sempre me olha torto quando eu explico o passo a passo de um jardim vertical e compartilho esse segredinho de paisagista. "Isso mesmo, preto. E os vasos também precisam ser pretos." Não, não pode ser marrom, nem verde-cor-de-folha. Quer dizer, poder, pode. Só que o preto cria um efeito de ilusão de ótica melhor do que o de qualquer outra cor, fechando os buraquinhos entre os vasos e fazendo a parede "desaparecer". O olho vê uma grande mancha verde, entende? Tudojuntomisturado. Se você pintar a parede com neutrol, que é um impermeabilizante todo preto, já resolve dois problemas de uma só vez.

As plantas, sim, podem ser de várias cores. Você pode querer um efeito de bloco único, usando todas as plantas iguais, de pequenos pontos de cor, escolhendo algumas diferentes, ou de manchas e padrões geométricos, misturando três ou mais espécies na composição. Segundo segredinho de paisagismo: se o espaço for pequeno, use a mesma planta que ele parecerá maior, mais unificado. No máximo, ponha uns pontinhos de cor, mas nada que exceda mais de 5% da composição. Em jardins verticais grandes, com mais de 10 metros quadrados, você vai ver que as manchas de plantas diferentes aparecem muito melhor — quanto mais de longe você puder admirar a parede, mais vale brincar com diferentes cores e texturas.

Terceiro segredinho de paisagista: para efeito de cálculo, cabem 3 vasos por metro linear, o que dá mais ou menos 9 vasos por metro quadrado. Isso vai mudar de acordo com o tamanho do vaso e, principalmente, com o volume da folhagem escolhida. Não ponha nada muito grudado, dê espaço para a planta crescer e se mostrar. Pense em como o jardim vertical vai ficar daqui a uns três meses e não em como ele está no dia da implantação. Em menos de uma semana as plantas começam a se acomodar e a buscar o sol ou a luz, então, aquele galhinho que você ficou meia hora arrumando pra direita não estará necessariamente na mesma posição no dia seguinte.

Mais um truque: vasos muito grudados, sem aeração adequada, atraem cochonilhas, os grandes detonadores de jardins verticais. Ácaros também surgem em ambiente onde as plantas estão todas "socadas", por isso, não exagere, de verdade, na proximidade dos vasos.

Quer mais dicas? Então, fique com mais esta: use vermiculita e Bokashi no preparo da terra que vai para cada vaso. A vermiculita é um mineral muito leve, capaz de absorver até cinco vezes seu peso em água. Ela mantém não só a planta úmida por mais tempo como também diminui o aquecimento dos vasos no calor (eles são pretos, lembra?). É facilmente encontrada em casas agrícolas, em sacos de 25 ou 50 litros. Você pode usar uma mão bem cheia de vermiculita por vaso – só evite nas plantas que preferem um solo mais aerado, como é o caso do alecrim, da rosa e de tantas outras espécies de clima temperado.

Já o Bokashi é um adubo orgânico multi uso, que reúne vários micro e macro nutrientes numa misturinha que os japoneses guardam a sete chaves. Tem farinhas (de osso, de sangue, de peixe), extrato de algas, microorganismos benéficos, esterco curtido, palha de arroz e muitos outros ingredientes, que são misturados em uma pilha de fermentação até atingirem o ponto perfeito. O grande efeito do Bokashi é que ele vai sendo liberado nas raízes aos poucos, a cada rega, mantendo a planta adubada por até seis meses, dependendo das necessidades de cada espécie. Nos jardins verticais, você pode usar uma mão bem cheia de bokashi por vaso, misturando-o muito bem à terra antes de colocar o torrão de raízes.

Agora que você já conhece todos os pulos-do-gato do jardim vertical, tá na hora de colocar a mão na terra e montar você mesmo uma parede verde linda na sua casa. Neste vídeo para o Mais Cor, Por Favor, do GNT, eu mostro como você faz o plantio de cada vaso. Boralá?
© Carol Costa/Minhas Plantas

Painel de folhagens deixa a sala mais charmosa

Se fosse uma receita de bolo, seria algo assim: 1 treliça, 1 begônia "Beleaf Inca Flame" de parar o trânsito, substrato e manta de drenagem quanto baste e calatheas para "polvilhar". Junte delicadamente, reserve um lugar de destaque e sirva. Sem moderação! Begônia escandalosamente Mais Cor, Por Favor, produzida em ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Como fazer um arranjo de terra com orquídeas

Há plantas que crescem na terra, como a maioria das que conhecemos. Existem outras que preferem se desenvolver usando as árvores de apoio – alô, avencas, samambaias e muitas muitas orquídeas. E há plantas que são "flex", tipo carro que funciona a álcool ou gasolina, manja? Para fazer esse arranjo no ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Oportunidade para "virar" paisagista ou jardineiro

Tá difícil, eu sei. O dinheiro não acompanha os dias do mês, o sono não recarrega as horas trabalhadas e a cada momento há mais incerteza. Na fila da padaria, no ponto de ônibus, no salão de beleza, as pessoas cochicham e, de vez em quando, sai um "demitido" ou ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

O melhor e mais barato antidepressivo do mundo

Ali não chega o barulho das buzinas. O carteiro não te encontra pra entregar contas a pagar. Seu chefe não aparece para dar bronca, aquela colega invejosa não consegue te atingir. Ali, naquele canto tão sagrado, não há dedos apontados para você. Ninguém te julga, te condena, nada faz você ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

3 passos para acertar na horta desde o começo

Você já reservou um dia para plantar, comprou terra e luvas de jardinagem e está a meio passo de começar uma horta em casa. Que bom! Mas, ó, deixa eu te dar 3 dicas. É que depois de eu ter feito os vídeos da websérie #MinhaHorta, para a Isla Sementes ... (+)
Leia mais
© Alexandre Pavan/Minhas Plantas

Sua loucura por orquídeas virou doença?

Dez anos atrás, quando me apaixonei perdidamente por orquídeas, comecei a fazer toda sorte de coisa imbecil que você possa imaginar. Enfrentei duas horas de karaokê japonês só para comprar plantas mais baratas. Enfiei o dedo em tanta lesma que perdi a conta. Quase fui mordida por uma caranguejeira que ... (+)
Leia mais
© Divulgação

Criança que brinca na grama cresce mais feliz

Como eu odiasse brincar de Barbie e minha irmã só tivesse uma irmã, ela abria uma exceção: sempre que a gente podia ficar no pátio do prédio, nos entretíamos brincando "de comidinha". Era uma diversão pouco ecológica, é verdade. Resumia-se a apanhar um punhado de matos de diferentes cores, quase ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

3 dicas para melhorar as fotos de plantas

1. Aprendi com amigos fotógrafos um truque muito bom para fazer imagens amadoras parecerem sérias: clicar de perto coisas que você está acostumado a ver de longe e fotografar de muito perto aquilo que sempre está ao alcance dos olhos. Uso a dica em fotos prosaicas de plantas que encontro ... (+)
Leia mais
© Divulgação

Saiba evitar mosquinhas na composteira

Não meço esforços para ter um pouco mais de verde ao meu redor. Já coloquei uma bombinha de aquário num bidê, enchi de água e plantei ninféias e alfaces d’água. Meu jardim aquático durou pouco. Quando as plantas se tocaram de onde estavam florescendo, amarraram pedras no caule e ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Mato deixa qualquer casa com jeito de assombrada

“Ah, não, cortaram o mato!” Pronto, era o fim de uma idéia que eu vinha acalentando há meses para escrever aqui. Uma pena, já tinha até convencido dois amigos a irem comigo durante a noite até a Casa. Terei que esperar uns 30 anos para tentar novamente realizar a Série ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Mangueira se mata de desgosto de viver em vaso

Sou a favor da eutanásia em plantas terminais. É difícil aceitar que a sua begônia preferida precisa ser sacrificada ou que as orquídeas realmente não querem mais viver ao seu lado. Passar pelas quatro fases do luto é o mais duro. Minha mangueira já tinha dado sinais de que não ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Como evitar abelhas no bebedouro do passarinho

– Ele me ignora! – Calma, minha filha, também não é assim. – Me sinto rejeitada. Ele nem toca na minha comida… Começou assim minha sessão terapêutica com o seu Daugas Friech. Por telefone, ele me consolava. – Ele é assim mesmo, gosta de coisas espalhafatosas. – Mais kitsch que o bebedouro que eu comprei ... (+)
Leia mais
mostrar mais