página inicial / guia de plantas / árvores
ipê-branco
  • Nome popularipê-branco
  • Outros nomespau-d'arco, ipê-do-cerrado
  • Categoriaárvores
  • OrdemLamiales
  • FamíliaBignoniaceae
  • Subfamília
  • Tribo
  • Subtribo
  • GêneroTabebuia
  • EspécieTabebuia roseo-alba
  • OrigemBrasil
  • Tamanho5 a 15 metros
  • Propagaçãopor estaca e por muda
  • Iluminação
    sol pleno
  • Regapouca água
  • Plantio
    o ano todo
  • Perfumadanão
  • Floração
    o ano todo
  • Frutosnão comestíveis
O ipê-branco é a grande noiva das árvores: passa o ano todo se preparando para surgir de branco numa festa que, infelizmente, dura pouco. Quando chega o auge de sua floração, entre julho e setembro, sua copa fica pelada de folhas, mas cobertas de flores alvas. Se passar por um ipê-branco florido, fotografe – dali a menos de uma semana a árvore estará completamente nua e o chão ao redor com aquela cara de fim de festa.

Essa bela árvore brasileira tem tanto o seu nome botânico quando o popular originários do tupi-guarani. "Ipê" significa "árvore de casca grossa", enquanto "tabebuia" quer dizer simplesmente “pau”. Espécie típica do cerrado, ela tem o característico tronco tortuoso e as raízes profundas. As flores são em forma de trompete, com pétalas muito brancas e centro amarelo. Logo em seguida surgem vagens longas de cor verde, com numerosas sementes achatadas, muito leves, facilmente dispersas pelo vento.

Trata-se de uma árvore de excelência para uso paisagístico nas cidades, ainda que no início seja uma mudinha de aparência raquítica, com poucos ramos e folhas. À medida que vai crescendo e se ramificando, o ipê-branco adquire porte e elegância, com uma copa piramidal e cheia, fornecendo sombra fresca nos meses quentes. No outono, ela se despe totalmente das folhas, com um efeito dramático e também útil, já que assim permite a passagem da luz solar para nos aquecer. Por não ter raízes agressivas e não atingir grandes dimensões é excelente para embelezar calçadas, parques e praças.

Assim como os outros ipês, se desenvolve bem em local ensolarado. É pouco exigente quanto à fertilidade da terra, mas não aprecia solo pesado, que acumule muita água. Torna-se muito resistente à seca depois que está bem estabelecido, portanto, irrigue bem no primeiro ano de implantação.

A propagação do ipê-branco se dá por sementes. Elas devem ser colhidas assim que as vagens iniciam sua abertura natural (processo chamado "deiscência"). Como rapidamente perdem o poder germinativo, não perca tempo e semeie-as logo em sementeiras ou saquinhos, a pouca profundidade e em substrato mantido úmido o tempo todo sem, no entanto, encharcar. A germinação é rápida e geralmente ocorre de oito a 20 dias. As mudas estão prontas para o transplante ao local definitivo com quatro meses.

(Texto exclusivo para o Minhas Plantas escrito por Raquel Patro, do Jardineiro.net)