página inicial / guia de plantas / flores
hemerocale
  • Nome popularhemerocale
  • Outros nomesemerocale, emerocalis, hemerocalis, lírio-de-são-josé, lírio-de-dia, lírio-de-um-dia, daylily
  • Categoriaflores
  • OrdemAsparagales
  • FamíliaXanthorrhoeaceae
  • SubfamíliaHemerocallidoideae
  • Tribo
  • Subtribo
  • GêneroHemerocallis
  • EspécieHemerocallis x hybrida
  • OrigemChina, Coreia e Japão
  • Tamanhode 60 cm a 1 m
  • Propagaçãopor divisão de touceira
  • Iluminação
    sombra
  • Regamédia água
  • Plantio
    o ano todo
  • Perfumadasim
  • Floração
    outono
    verão
  • Frutoscomestíveis
Se você costuma curtir um dia ensolarado no parque, deve estar sempre em companhia das hemerocales. Parecidas com os lírios-asiáticos, porém mais resistentes do que eles para uso em espaços públicos, essas flores coloridas foram muito usadas pelo paisagista Burle Marx – do parque que leva seu nome, em São Paulo, ao aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, as hemerocales estão presentes.

Quando surgem às margens de rios e lagos, elas fazem mais do que enfeitar, ajudando a conter erosões. Aguentam sol forte, sobrevivem até em solo pobre em adubo e se viram bem sem a supervisão constante de um jardineiro. Curiosamente, suas flores duram apenas um dia – daí seu nome em latim, que significa "beleza de um dia". Ainda bem que a touceira floresce muito: um novo botão surge tão rápido quanto uma flor morre. E, acredite se quiser, as pétalas ainda podem ser comidas em sopas, saladas e ovos mexidos, segundo orienta o botânico Gil Felippe. "As flores mais pálidas, alaranjadas ou amarelas, têm um sabor bem doce", descreve ele no livro Entre o Jardim e a Horta.

A criação de uma família para a hemerocale


Nativa da região leste da Ásia, a hemerocale foi modificada e cultivada pelos americanos, gerando mais de 50 variedades, com pétalas comuns ou dobradas, em tons de rosa, amarelo, laranja e marrom, com ou sem perfume. Foram tantas mudanças genéticas para conseguir flores maiores, mais coloridas ou em maior número por haste que a hemerocale saiu da família dos lírios e ganhou uma só pra ela, a Hemerocallidaceae.

Acredita-se que tanto o caule quanto as raízes e flores servem como analgésicos. Sua flor, aliás, é muito consumida pelos chineses, que vendem os botões secos em empórios e lojas de produtos naturais. Se tiver curiosidade em comer uma hemerocale, tenha certeza de que a planta foi cultivada para esse fim – ela pode ter sido tratada com pesticidas impróprios para consumo ou simplesmente ser de uma espécie tóxica ou amarga.

Cultivada no sol a pino, a hemerocale gosta de clima quente, mas arejado, com uma boa variação de temperatura entre o dia e a noite (sem isso, ela não floresce). Tolera temperaturas mais baixas, mas não vai bem nem em vasos, nem nos estados do Norte e Nordeste do Brasil.

Cuidados para hemerocale no inverno fica menos vulnerável


No inverno, a hemerocale entra em dormência e fica com as folhas murchas e sem graça por um período que pode durar de algumas semanas a meses. Por isso, adube-a bem no final do outono, acrescentando à terra torta de mamona ou farinha de osso. O período que antecede a dormência também é o melhor para limpar a planta de folhas mortas e fazer mudas, dividindo a touceira com as mãos. Ao manuseá-la, use luvas, já que a folhagem costuma abrigar pequenas aranhas. Termine a tarefa adicionando um pouco de lesmicida à terra, já que, na dormência, a planta fica muito desprotegida contra lesmas e caracóis.

Com a chegada da primavera, a hemerocale está descansada e, como toda dorminhoca, acorda com fome. Volte a oferecer nutrientes, agora com adubo NPK 10-10-10, borrifado nas folhas na diluição de 1 colher de café para 1 litro de água, uma vez a cada 15 dias. Esse cuidado extra vai garantir uma floração mais espetacular e por muitos meses. A cada três ou quatro anos, divida a touceira novamente, para que cada planta tenha espaço suficiente para se desenvolver bem.