página inicial / guia de plantas / arbustos
coroa-de-cristo
  • Nome popular coroa-de-cristo
  • Outros nomes coroa-de-espinho, colchão-de-noiva, dois-irmãos, bem-casado
  • Categoria arbustos
  • Ordem Malpighiales
  • Família
  • Subfamília
  • Tribo
  • Subtribo
  • Gênero
  • Espécie Euphorbia milü
  • Origem Madagascar
  • Tamanho até 1 metro
  • Propagação por estaca
  • Iluminação
    sol pleno
  • Rega média água
  • Plantio
    primavera
    verão
  • Perfumada não
  • Floração
    primavera
    verão
  • Frutos não comestíveis
Para muitas, muuuuitas pessoas, esta planta está associada a duas únicas informações: é tóxica e tem espinhos. Fim da linha pra coroa-de-cristo, ninguém quer saber dela, ainda mais que os paisagistas praticamente não usam mais essa espécie. Rainha destronada, essa coroa-de-cristo... Epa. E se a gente tentasse dar uma chance pra moça? Porque essa verdinha de flores minúsculas amarelas (pois é, a parte vermelha não é flor!), esse arbusto valente e duradouro, essa pessoinha clorofilada não merece nosso descaso e preconceito.

Espinhos e seiva tóxica são caracteristicas da coroa-de-cristo


Nativa de Madagascar, a coroa-de-cristo já teve dias de rainha: foi levada para a França por um naturalista, ganhou nome de barão e até hoje faz sucesso na Europa e nos Estados Unidos, onde é possível encontrá-la em outros tons, inclusive numa variedade que tem as folhas rajadas ou as flores muito maiores, o dobro das que a gente conhece. Ok, ok, ela de fato tem uma seiva leitosa tóxica, que causa queimaduras e irritação na pele se a gente não lavar a área.

Coroa-de-cristo é resistente e ótima para cerca-viva


Pode ser um problema pra quem tem crianças inclusive por causa dos espinhos, que abundam por todo o caule. Mas taí plantinha perfeita pra isolar uma área, impedir o acesso a uma janela, evitar que escalem um muro baixo ou mesmo que sentem numa mureta que não deve ser transformada em banco. A coroa-de-cristo aceita poda como ninguém, cresce vigorosa em solo arenoso, aguenta frio, vento e meses sem água, até maresia ela aceita sem chiar. Se desenvolve devagar se há pouca fertilidade na terra e ama aquele lugar de sol tão forte que daria pra fritar um ovo no chão, sabe como é? Tem mais um motivo pra eu amar essa moça: ela era presença garantida nos jardins dos nossos avôs e avós, num tempo em que as pessoas não tinham pânico de quintal e que criança era encorajada a ter contato com a natureza sim, mas sempre supervisionada. Como dizia minha avó, "florzinha é pra ver e achar bonito, não é pra arrancar que faz dodói na plantinha". ;)