página inicial / culinária / sobremesas
© Cecília Santos/Cozinha da Ceci

Panquecas com compota de ameixa

Cecília Santos,
do site Cozinha da Ceci
Ano passado meu dia das mães foi bem diferente dos anos anteriores. Dois dias antes eu havia reencontrado meu filho depois de 3 meses de ausência.

No dia do nosso reencontro, vi os primeiros raios de sol enquanto o avião em que eu voava sobrevoou Toronto para aterrissar. Depois de ter consultado o mapa da cidade tantas vezes, agora eu via o traçado regular das ruas iluminado pelas lâmpadas e tentava imaginar onde meu filho estaria naquele momento, ainda dormindo. Confesso que meus olhos se encheram de lágrimas de emoção e eu nunca vou esquecer aquele instante.

Quando nos encontramos, eu me enchi de orgulho e vi como tudo havia valido a pena. Meu filho havia se tornado mais maduro e corajoso nesses 3 meses, tendo superado tudo o que o intercâmbio envolveu: a saudade de casa, o frio, os escorregões nas calçadas cobertas de gelo, o ônibus errado, o cartão do metrô perdido.

Nosso reencontro acontecer pouco antes do dia das mães foi casual, mas no fim, houve algo de simbólico nisso: senti que, como mãe, eu havia cumprido minha missão de criá-lo, mas especialmente a tarefa final de toda mãe: ensiná-lo a caminhar com as próprias pernas.

Eu havia ido a Toronto para encontrá-lo e desfrutarmos juntos de férias longamente ansiadas. Passamos 5 dias nessa cidade verdadeiramente multicultural e mais 5 dias em Montreal.

Claro que uma parte importante das férias em outra cidade ou país é a comida. E o Canadá não me decepcionou, muito pelo contrário. Especialmente os cafés da manhã. Foi lá que comemos as panquecas doces com calda de frutas vermelhas e creme branco.

O interessante é que a gente já tinha comido panquequinhas bem parecidas com essas em Gonçalves, MG. Lá elas têm o nome peculiar de “orelhas-de-padre”, são um pouco menores e, na pousada em que nos hospedamos, eram servidas quentinhas, para serem apreciadas com mel, manteiga e geleia caseira.

As panquecas canadenses ficaram na minha memória gustativa associadas a esse momento feliz entre mãe e filho. Por isso eu sugiro essa receita para o café da manhã do Dia das Mães. As caldas podem ser preparadas com antecedência.

Acabei subvertendo a calda de frutas vermelhas porque ainda não é época de morango, e outras frutinhas da família das "berries" são absurdamente caras. Então fiz uma deliciosa compota de ameixas frescas. Mas toda opção é válida, como geleias ou ganache de chocolate.

Só peço encarecidamente: pelo menos nesse dia, não deixe a louça para a sua mãe lavar!

Ingredientes

Para as panquecas:
- 1 ovo
- 2 col. (sopa) de açúcar
- 1 col. (sobremesa) de manteiga à temperatura ambiente
- 1 col. (chá) de essência de baunilha*
- 1/2 xíc. (chá) de leite integral
- 1 e 1/4 xíc. (chá) de farinha de trigo
- 1 col. (chá) de fermento em pó
- manteiga para untar

Para a compota de ameixa:
- 3 ameixas frescas
- 1/2 xíc. (chá) de açúcar
- 1 xíc. (chá) de água
- 1/3 de xíc. (chá) de vinho tinto
- 1 pau de canela
- 1 cardamomo
- 3 cravos-da-índia

Para o creme:
- 1 gema
- 1 col. (sopa) de açúcar
- 1 xíc. (chá) de leite integral
- 2 col. (sopa) de creme de leite
- 1 col. (chá) de essência de baunilha*
Preparo: 1 hora
Rendimento: 12 unidades
Dificuldade: médio

Modo de Preparo

1. Em uma vasilha, bata o ovo com o açúcar e a manteiga. Incorpore os demais ingredientes e mexa bem até a massa estar bem lisa.
2. Aqueça uma frigideira antiaderente e espalhe uma quantidade bem pequena de manteiga. Mantenha a frigideira em fogo baixo.
3. Despeje uma colher de massa para cada panqueca, mantendo alguma distância entre elas. Quando a massa começar a ficar firme nas beiradas, vire a panqueca com o auxílio de uma espátula e cozinhe do outro lado, até que ambos estejam ligeiramente dourados.
4. Retire e reserve.
5. Corte as ameixas ao meio e retire o caroço. Reserve.
6. Leve o açúcar e a água para ferver em uma panela média. Adicione a canela, o cardamomo e os cravos e deixe ferver por dois a três minutos.
7. Coloque as ameixas com a casca para cima e cozinhe por 2 minutos. Vire as ameixas e cozinhe-as por mais 2 minutos. Retire as ameixas e reserve.
8. Junte o vinho tinto à calda e deixe cozinhar até o líquido reduzir à metade do volume. Retire a canela, o cardamomo e os cravos da calda.
9. Corte as ameixas em tiras de 2 cm de largura e incorpore-as à calda pronta.
10. Bata a gema com o açúcar e reserve.
11. Leve o leite ao fogo até ferver.
12. Despeje 1/4 do leite fervido sobre a gema e o açúcar e misture bem.
13. Junte ao restante do leite fervido e cozinhe em fogo baixo por 10 minutos, mexendo para não empelotar.
14. Desligue o fogo, incorpore o creme de leite e a baunilha e misture bem. Deixe esfriar.
15. Monte cada panqueca com algumas ameixas e o creme por cima. Sirva à temperatura ambiente.

*Eu uso um extrato caseiro de baunilha que consiste em algumas favas de baunilha já abertas, das quais já extraí as sementes para alguma receita, mergulhadas em vodca ou rum. Após alguns dias, o líquido escurece e adquire o sabor e aroma das favas de baunilha.