Tu te tornas responsável por aquilo que cultivas.
página inicial / culinária / temperos
© Carol Costa/Minhas Plantas

Azeite de orégano

Rachel Bonino,
do site Sacola Brasileira
Adoro fazer descobertas culinárias. Talvez por isso minha prateleira de livros esteja transbordando títulos sobre alimentação. Mas além de me deparar com as descobertas impressas, gosto mesmo é de tropeçar nelas ao vivo, in loco, in natura. Fico intrigada: como alguns alimentos sempre estiveram ali e eu nunca vi? Como nunca pensei naquela determinada combinação? Com o orégano fresco foi assim.

Há alguns anos, fiquei cara a cara com um maço no supermercado. Não o reconheci de primeira. Nossa referência, a da erva seca, é tão feia, com partículas miúdas de um tom de verde tão “desmaiado”, como se diz no Nordeste, que em nada se parece com o maço natural, todo delicado, um buquezinho super perfumado. A surpresa foi sacar o quanto a mais ele “aparece” no prato comparado à versão seca – como prova a receita abaixo.

Assim como muitas outras ervas, o orégano tem seu ponto máximo de sabor e aroma quando está fresco. Já o tomilho e o alecrim têm uma performance na versão seca tão boa quanto na fresca.

Ingredientes

- 2 maços de orégano fresco
- 1/2 col. (chá) de pimenta do reino em grãos
- 2 xíc. de azeite extra virgem
- 1/2 limão siciliano
Preparo: 15 minutos
Rendimento: 2 xícaras
Dificuldade: beeem fácil

Modo de Preparo

1. Lave o orégano, seque bem, separe as folhas dos ramos e pique-as bem fininho. Reserve.
2. Amasse grosseiramente os grãos de pimenta do reino com a base de uma faca.
3. Numa panela, misture o orégano, a pimenta do reino e o azeite e aqueça levemente (por 5 minutos, no máximo).
4. Coloque o azeite temperado em um vidro limpo e deixe esfriar.
5. Enquanto isso, faça tiras com a casca do limão e incorpore-as ao azeite. Sacuda bem.
6. Deixe em temperatura ambiente por 2 horas, depois, guarde em vidro bem tampado na geladeira. Dura até 1 mês.