página inicial / blogs / Carol Costa

A vez das orquídeas terrestres

© Carol Costa/Minhas Plantas
Orquídeas terrestres passaram anos como cidadãs de segunda classe, longe dos mimos destinados a >Cattleyas, Laelias e tantas outras epífitas "nobres". Pois se prepare para uma virada nessa situação. Com a escassez de água nos anos anteriores, e uma busca cada vez maior por jardins mais baratos e fáceis de manter, as orquídeas terrestres despontam como queridinhas de paisagistas e ganham destaque em projetos badalados, a exemplo do grande uso de Spathoglottis unguiculata que se viu nas últimas edições de Casa Cor, por exemplo.

A tendência de usar orquídeas terrestres vai muito além da já "arroz de festa" Arundina bambusifolia, representante máxima da categoria nos últimos quinze anos. Grandes produtores e viveiristas têm investido em espécies e variedades terrestres que, antes, ficavam restritas a meia dúzia de vasos esquecidos num cantinho dos orquidários. É o caso, por exemplo, de Van Noije e R. Acosta, dois gigantes de plantas ornamentais que recentemente incorporaram orquídeas à produção.

Localizado em Holambra, R. Acosta é especializado em marantas e calatéias e, há 15 anos, vem trabalhando com Ludisia discolor, conhecida no exterior com o gracioso nome de orquídea-pipoca. A aposta nessa orquídea terrestre deu tão certo que eles investiram no crescente mercado de flores de corte e agora também trabalham com Ludisia vendidas em maços com 8 a 9 hastes.

Caminho semelhante percorreu Van Noije, maior produtor de crótons do Brasil. Quem visita as estufas de produção vai encontrar, em meio ao salpicado amarelo, vermelho e vermelho característico do croton, grandes canteiros com Epidendrum e Spathoglottis. Em breve, será cada vez mais comum encontrar uma Spathoglottis "Peach", de flores amarelas, ou Epidendruns "Fiesta", "Peach Glow", "Super Red" e "Red Glow", de folhagem super compacta, muito diferentes daqueles cultivados a sol pleno. Há ainda duas linhas com orquídeas de corte, uma com opções de Epidendrum "Carib", em hastes mais longas, e outra com Phaius thankerville, outra terrestre que engrossa a tendência.

Adaptando as orquídeas terrestres ao seu jardim


O aumento da oferta de orquídeas terrestres vem acompanhado de um desafio ao colecionador iniciante. É que a maioria das espécies aqui citadas são todas de sol pleno e cultivo bastante rústico – exatamente o oposto de como a planta vem sendo tratada pelo produtor. Para padronizar a produção e conseguir o porte compacto do Epidendrum, por exemplo, a planta é cultivada em telado, num ambiente de luz difusa e de rega e adubação diárias. É por isso que muita gente pode estranhar que uma orquídea-grapete comprada no supermercado, por exemplo, se queixe de receber mesmo um sol fraquinho nas folhas. Para evitar queimaduras e até a morte das orquídeas, é preciso submeter a planta a um processo chamado rustificação – aos poucos, ir aumentando a insolação até que uma orquídea de sol pleno tenha novamente se adaptado à vida "dura" e não mais aos paparicos da estufa.


Conheça mais orquídeas terrestres



Arundina bambusifolia


Conhecida como orquídea-bambu. Originária do Sudeste da Ásia, passa de 2 metros de altura, com pseudobulbos semelhantes a um pé de milho. Floresce quase o ano todo em sol pleno tendo como substrato terra comum de jardim, mantida úmida e bem adubada. Produz muitos keikis e precisa de replantio para não ficar rala por baixo.

Cymbidium sp


O gênero tem quase 50 espécies registradas e mais de 10 mil híbridos. Muitos Cymbidium são capazes de crescer tanto em substrato de epífitas quanto numa mistura de terra vegetal, areia e composto orgânico. Pode crescer a pleno sol desde que passe pelo processo de rustificação.

Epidendrum sp


Por sua origem tropical – muitas espécies são nativas do Brasil, Colômbia e Costa –, gosta de clima quente e úmido, com temperaturas que não desçam a menos de 10ºC. É planta rústica, de flores muito duráveis. Cresce tanto em substrato para epífitas quanto em canteiros preparados com terra, composto e areia.

Ludisia discolor


É uma das orquídeas de folhas mais exuberantes que existem: na Malásia, enfeita ambiente internos mesmo quando está sem flor. As folhas são aveludadas, de um roxo escuro coberto de veias vermelhas, contrastando com as flores brancas. Cultive em terra adubada, mas sempre longe do sol forte.

Neobenthamia gracilis


Nativa da África, é famosa por suas inflorescência brancas em forma de guarda-chuva, com flores pequeninas de cabelo salpicado de vermelho. Pode se desenvolver em substrato para plantas terrestres desde que não falte umidade nem vente muito. Adora sol, mas algumas mudas precisam se reaclimatar.

Renanthera coccinea


Quando é plantada em ambiente ensolarado, a Rexanthera intensifica seu vermelho vivo e produz hastes mais longas do que quando cultivada só na claridade. De cultivo semelhante ao do Epidendrum, sa florada pode durar vários meses, motivo por que essa orquídea vem fazendo sucesso como flor de corte.

Spathoglottis unguiculata


Chamada no exterior de orquídea-grapete em alusão à cor e ao perfume de uva que suas flores emanam, a Spathoglottis tem porte grande, folhas plissadas e muita energia, produzindo várias rotações quando tem espaço e solo leve, misto de terra vegetal e areia. Aprecia o sol da manhã, mais suave do que o da tarde.

Cresce procura por orquídeas em arranjos florais


Hoteis, pousadas, empresas, clínicas estéticas, consultórios médicos... Com o aumento da demanda por arranjos florais, o mercado de flores de corte vem recorrendo às orquídeas para oferecer um leque maior de produtos premium. Se Phalaenopsis, Cymbidium e Vanda já tinham ganho até os corações das noivas mais neuróticas, agora é a vez de outros gêneros de orquidáceas virarem febre. Ludisias e Epidendrums estão entre as flores mais pedidas: no primeiro caso, pela altíssima durabilidade e abertura sequencial das flores, no segundo, graças ao colorido das flores. Para os produtores, a aposta na dobradinha orquídea plantada-flor de corte é interessante porque minimiza eventuais perdas e dá sobrevida a plantas que estão com a folhagem feia.
postado em 31/10/2017 - Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Arranjo com rosa-de-pedra e cacto-coração

Sedum, senécio, rosa-de-pedra, barba-de-moisés e cacto-coração dividem espaço amigavelmente neste arranjinho de suculentas feito num vidro quadrado da T.S. Brasil. Esse tipo de arranjo agrupa aquelas pessoinhas que não necessariamente cresceriam juntas na natureza, mas que, aqui, funcionam lindamente como bests. É que a barba-de-moisés que faz esse cabelinho ... (+)
Leia mais
© Brunna Mancuso

Livro 365 Dias Para Plantar, de Carol Costa

O que falta para você começar um cantinho verde em casa? Qual empurrãozinho precisa pra se animar e plantar hoje mesmo aquela hortinha na cozinha? Que plantas você tentou ter e não foram pra frente? Essas são algumas das perguntas que usei como ponto de partida pra escrever o "365 ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

O be-a-bá das orquídeas para iniciantes

Entenda de uma vez o que significam alguns dos termos complicados mais encontrados nos livros de botânica e jardinagem O que é epífita Essa palavrinha em latim quase sempre é usada para designar orquídeas, mas elas não são as únicas "plantas que crescem em árvores", conforme a tradução livre do ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Como fazer boas fotos de suas plantas

Velocidade do obturador, abertura do diafragma, balanço de brancos, profundidade de campo focal... Entender esses termos difíceis pode tornar a vida de um colecionador de orquídeas bem complicada quando se deseja apenas guardar boas imagens das plantas. É por isso que a câmera do celular tem se transformado na ferramenta ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

7 momentos que revelam seu Lado Verde da Força

Carol Costa, a jardineira escritora que acaba de lançar mais um livro, "Minhas Plantas — Jardinagem Para Todos (Até Quem Mata Cactos)" (já tinha lançado o "Horta Em Vasos"), costuma escrever textos incríveis não só no site mas também nas redes sociais, como o Instagram (aproveite para seguí-la clicando aqui). Esta ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Como fazer sua orquídea florir

Quem tem em casa uma orquídea que se nega a florir se sente um pouco traído. Depois de dar água, casa, comida e roupa lavada, de seguir à risca as orientações do vendedor, buscar informações extras no QR Code do produtor, pesquisar em sites especializados e, ainda assim, ver os ... (+)
Leia mais
© Luciana Festi/GNT

7 truques para driblar a estiagem no orquidário

Manter as orquídeas bonitas e saudáveis tem sido um desafio em tempos de estiagem. O que poucos sabem é que aposentar o esguicho pode ser muito bom também para seu orquidário – afinal, existem muitas outras formas de manter as plantas úmidas sem desperdiçar nenhuma gota de água. Aqui vão algumas ... (+)
Leia mais
© Edna Fróes/Agapanthus Floricultura

Do primeiro milhão ao milhinho no quintal

"Emagreça até 9 kg por semana com a dieta do limão!" Já tinha perdido as contas de quantas reportagens sobre regimes malucos passaram pelas minhas mãos quando eu ainda tinha outra vida, a de jornalista. Entediada, olhei pela janela. Fazia uma manhã ensolarada lá fora. As grevíleas balançavam ao vento ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Orquídeas, as rainhas da mentira

Cartola tinha razão quando cantava que "as rosas não falam" – só que o compositor carioca esqueceu de dizer que elas não se contentam em simplesmente exalar "o perfume que roubam de ti". Toda flor nasceu para mentir e ludibriar. Orquídeas, então, nem se fala, são as rainhas da enganação. Para ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

A história da produção de baunilha

"– Uns quinze anos atrás, meu pai foi convencido por um francês a investir numa plantação de baunilha no Taiti, mas a plantação não deu certo. – O clima é perfeito e as trepadeiras cresciam, chegavam a dois metros de altura. Davam flores do tamanho de um punho, que vicejaram e morreram ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

5 passos para levar a coleção a sério

Todo colecionador de orquídeas começou do mesmo jeito: ganhou um vaso aqui, comprou outro acolá, adotou uma planta quase morta que viu abandonada na rua e, depois de algum tempo, já tinha a casa cheia de verde. E aqui começa a bifurcação no caminho de quem vai seguir como um ... (+)
Leia mais
© Bruno Geraldi

Novo livro de Carol Costa se chamará Jardinagem Para Todos

Carol Costa aproveitou a confirmação do lançamento do seu novo livro, Minhas Plantas - Jardinagem para Todos (Até Quem Mata Cactos) e fez um post inspirado no seu perfil do Instagram para contar a novidade. Minhas Plantas - Jardinagem para Todos (Até Quem Mata Cactos) LIVRO NOVO! \o/ A pré-venda de Minhas ... (+)
Leia mais
mostrar mais