página inicial / blogs / Carol Costa

Do primeiro milhão ao milhinho no quintal

© Edna Fróes/Agapanthus Floricultura
"Emagreça até 9 kg por semana com a dieta do limão!" Já tinha perdido as contas de quantas reportagens sobre regimes malucos passaram pelas minhas mãos quando eu ainda tinha outra vida, a de jornalista. Entediada, olhei pela janela. Fazia uma manhã ensolarada lá fora. As grevíleas balançavam ao vento. As sibipirunas estavam em plena floração. Desci pra tomar um café e encontrei um rapaz debruçado sobre o canteiro de clívias, dividindo as densas touceiras. E, então, fui tomada por aquele sentimento de pássaro engaiolado: "E se eu largasse tudo e fosse curtir a vida do lado de fora do ar condicionado? E se escrevesse sobre algo que eu realmente amasse? E se fizesse alguma coisa com plantas?".

Em busca do primeiro milhão


Isso foi há cinco anos, quando meus vídeos mais tosquinhos sobre orquídeas estavam bombando no YouTube sem eu sequer monetizá-los. As bancas de revistas estavam lotadas de publicações com chamadas do tipo "Vire seu próprio patrão!" ou "Trabalhe de casa, de pijamas, e ganhe mais que seu chefe". Havia um título em especial que me incomodava e volta e meia aparecia nas capas: "Faça seu primeiro milhão antes dos 30 anos". E eu, na época com 34, me sentia velha, acabada, perdendo tempo.

Quando finalmente pedi demissão pra abrir o Minhas Plantas, gastei todo meu FGTS no sonho de virar uma jornalista especializada em plantas. Fiz curso de tudo o que pintada, inclusive das modinhas de gestão, como Design Thinking ou Análise SWOT. Segui a cartilha completa da "empreendedora", palavra que eu detestava, mas que não encontrava outra pra me descrever. Aprendi a mentalizar um "valor" que eu queria retirar por mês, o tal salário "dos sonhos" que eu julgava ser merecedora.

Trabalho com plantas de sol a sol


Trabalhei duro, 15, 16 horas por dia. Trabalhei aos finais de semana. Trabalhei em aniversários familiares, nas noites sem fim, nas madrugadas a dentro. Achei que o dinheiro não entrava porque eu tinha de fazer mais cursos. Porque não estava preparada o bastante. Porque não tinha comprado os livros certos nem feito o Canvas correto do meu produto. Eu nem sabia como fazer dinheiro. Devia abrir uma floricultura? Virar paisagista? Fazer implantação de jardins? Vender terrários? Trabalhar na decoração de casamentos? Não tinha essas respostas, então, eu tentei de tudo. Abri CNPJ de floricultura, fiz curso de jardinagem, depois, de paisagismo, aprendi a montar terrários, participei de feiras, estudei arranjos florais. Em cada um desses Eu trabalhava ainda mais horas, mais domingos, me afastando dia a dia da praça, do parque, do gramado, do "lá fora" que eu tanto desejei.

Um dia, caiu a ficha. O tal do milhão, na verdade, era a cenoura amarrada na frente do cavalo, um estímulo a mais pra roda girar e eu comprar, comprar, comprar. Me fez consumir mais cursos, livros, serviços, coisas de que eu talvez nem precisasse se tivesse me focado no básico: eu amava as plantas, elas me amavam, eu poderia passar a vida toda trabalhando com elas. Talvez não ficasse rica. Talvez não fizesse um milhão nem aos 80 anos, mas o foco da minha nova carreira finalmente poderia voltar a ser aquilo que me atraiu desde o começo, o tesão. A vontade de fazer algo que me desse prazer.

A virada de vida


Percebe a virada? Ela acontece quando você finalmente deixa de se distrair com o barulho do "compre", "faça", emagreça" e encara o silêncio que vem de dentro. Aquele, que só você conhece e do qual tanto foge. É ali que brotam as plantas mais raras, as flores mais belas da nossa existência. E esse canteiro, como é natural na jardinagem, não exige muito para ser cultivado. Bastam silêncio e disposição.
Hoje, gasto menos com tudo. Roupas, sapatos, bolsas. Como mais em casa, o que gerou uma grande economia nos restaurantes e uma inestimável qualidade de vida. Minhas contas vivem entre o vermelho e o azul, mas eu não ligo mais. Tudo bem se eu não ganhar um milhão antes dos 40 — se eu puder plantar milhinhos na varanda, vai ter valido à pena.
postado em 12/09/2017 - Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Painel de folhagens deixa a sala mais charmosa

Se fosse uma receita de bolo, seria algo assim: 1 treliça, 1 begônia "Beleaf Inca Flame" de parar o trânsito, substrato e manta de drenagem quanto baste e calatheas para "polvilhar". Junte delicadamente, reserve um lugar de destaque e sirva. Sem moderação! Begônia escandalosamente Mais Cor, Por Favor, produzida em ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Como fazer um arranjo de terra com orquídeas

Há plantas que crescem na terra, como a maioria das que conhecemos. Existem outras que preferem se desenvolver usando as árvores de apoio – alô, avencas, samambaias e muitas muitas orquídeas. E há plantas que são "flex", tipo carro que funciona a álcool ou gasolina, manja? Para fazer esse arranjo no ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Oportunidade para "virar" paisagista ou jardineiro

Tá difícil, eu sei. O dinheiro não acompanha os dias do mês, o sono não recarrega as horas trabalhadas e a cada momento há mais incerteza. Na fila da padaria, no ponto de ônibus, no salão de beleza, as pessoas cochicham e, de vez em quando, sai um "demitido" ou ... (+)
Leia mais
© Elisa Mendes/GNT

5 segredos para você fazer um jardim vertical com suas próprias mãos

"Mas pintar a parede de preeeeto?" Alguém sempre me olha torto quando eu explico o passo a passo de um jardim vertical e compartilho esse segredinho de paisagista. "Isso mesmo, preto. E os vasos também precisam ser pretos." Não, não pode ser marrom, nem verde-cor-de-folha. Quer dizer, poder, pode. Só ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

O melhor e mais barato antidepressivo do mundo

Ali não chega o barulho das buzinas. O carteiro não te encontra pra entregar contas a pagar. Seu chefe não aparece para dar bronca, aquela colega invejosa não consegue te atingir. Ali, naquele canto tão sagrado, não há dedos apontados para você. Ninguém te julga, te condena, nada faz você ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

3 passos para acertar na horta desde o começo

Você já reservou um dia para plantar, comprou terra e luvas de jardinagem e está a meio passo de começar uma horta em casa. Que bom! Mas, ó, deixa eu te dar 3 dicas. É que depois de eu ter feito os vídeos da websérie #MinhaHorta, para a Isla Sementes ... (+)
Leia mais
© Alexandre Pavan/Minhas Plantas

Sua loucura por orquídeas virou doença?

Dez anos atrás, quando me apaixonei perdidamente por orquídeas, comecei a fazer toda sorte de coisa imbecil que você possa imaginar. Enfrentei duas horas de karaokê japonês só para comprar plantas mais baratas. Enfiei o dedo em tanta lesma que perdi a conta. Quase fui mordida por uma caranguejeira que ... (+)
Leia mais
© Divulgação

Criança que brinca na grama cresce mais feliz

Como eu odiasse brincar de Barbie e minha irmã só tivesse uma irmã, ela abria uma exceção: sempre que a gente podia ficar no pátio do prédio, nos entretíamos brincando "de comidinha". Era uma diversão pouco ecológica, é verdade. Resumia-se a apanhar um punhado de matos de diferentes cores, quase ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

3 dicas para melhorar as fotos de plantas

1. Aprendi com amigos fotógrafos um truque muito bom para fazer imagens amadoras parecerem sérias: clicar de perto coisas que você está acostumado a ver de longe e fotografar de muito perto aquilo que sempre está ao alcance dos olhos. Uso a dica em fotos prosaicas de plantas que encontro ... (+)
Leia mais
© Divulgação

Saiba evitar mosquinhas na composteira

Não meço esforços para ter um pouco mais de verde ao meu redor. Já coloquei uma bombinha de aquário num bidê, enchi de água e plantei ninféias e alfaces d’água. Meu jardim aquático durou pouco. Quando as plantas se tocaram de onde estavam florescendo, amarraram pedras no caule e ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Mato deixa qualquer casa com jeito de assombrada

“Ah, não, cortaram o mato!” Pronto, era o fim de uma idéia que eu vinha acalentando há meses para escrever aqui. Uma pena, já tinha até convencido dois amigos a irem comigo durante a noite até a Casa. Terei que esperar uns 30 anos para tentar novamente realizar a Série ... (+)
Leia mais
© Carol Costa/Minhas Plantas

Mangueira se mata de desgosto de viver em vaso

Sou a favor da eutanásia em plantas terminais. É difícil aceitar que a sua begônia preferida precisa ser sacrificada ou que as orquídeas realmente não querem mais viver ao seu lado. Passar pelas quatro fases do luto é o mais duro. Minha mangueira já tinha dado sinais de que não ... (+)
Leia mais
mostrar mais